29/01/2013 - A 500 dias, Cuiabá acelera obras e se prepara para um ano de provações

Após um final de ano preocupante e com a maioria das obras da mobilidade urbana em aparência de estagnação, Cuiabá e Várzea Grande retomaram o ritmo de sua preparação para a Copa do Mundo de 2014. Faltando 500 dias para o evento, a capital vive um contraste entre a proximidade da entrega das primeiras intervenções e licitações retardatárias de obras importantes.

A cidade que se transformou em um canteiro de obras e vem sofrendo com uma situação de pré-caos no trânsito, se prepara para o pior: o início do ano letivo e a volta das férias de muitos servidores logo no início de fevereiro, fazem preconizar um colapso no tráfego de veículos nas principais vias, se não forem criadas novas rotas alternativas e não houverem medidas sistemáticas de apoio ao trânsito.

O panorama das obras da mobilidade urbana em Cuiabá apontam uma retomada extraordinária das obras, apesar do período chuvoso. É possível ver notável evolução em vários canteiros, como na rotatória do Tijucal, onde já aparecem concretadas algumas colunas de sustentação da plataforma e na trincheira Mário Andreazza que ultrapassou 60% da conclusão e já está na fase de cobertura. 

As obras do VLT seguem abrindo novas frentes. Nas últimas semanas as máquinas invadiram a avenida do CPA e a Fernando Correa da Costa, no trevo de ligação ao bairro Parque Cuiabá (MT-040). Também tiveram início, na semana retrasada, a construção do viaduto Dom Orlando Chaves, na avenida da FEB e a ampliação do aeroporto Marechal Rondon. Operários vêm trabalhando em turno noturno para manter a obra dentro do cronograma de entrega para março de 2014.


Foto:Darwin Júnior/ Copa do Pantanal 

Por outro lado, as obras do viaduto do Despraiado (50% concluído) não mostraram significativa evolução nos últimos dias. O viaduto foi anunciado, pela Secopa, como a primeira grande obra da Copa a ser entregue, em março, com dois meses de antecedência (o prazo é maio). Porém, houve uma desaceleração nos trabalhos e pelo ritmo atual, essa obra só deve ser entregue em maio, no fim do prazo.

Algumas intervenções já foram concluídas, como a pavimentação da avenida Mário Palma, duplicação da ponte Mário Andreazza, ponte sobre o Córrego Gumitá, duplicação da avenida Juliano Costa Marques, pavimentação da avenida Camboriú e duas pontes sobre o Rio Coxipó, nas avenidas Antônio Dorilêo e Eucaliptos. Nos próximos dias, novas obras devem ser entregues, incluindo a ponte sobre o Rio Pari que está 90% concluída. 

Desafio

O Governo do Estado chega à marca dos 500 dias para a Copa com um desafio: terminar logo as obras essenciais que são a Arena Pantanal, a reforma do aeroporto Marechal Rondon e os Centros Oficiais de Treinamento (COT’s), principais exigências na matriz de responsabilidade.

O secretário da Secopa (Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo), Maurício Guimarães, mostra entusiasmo para o início da etapa de inaugurações. “Vamos dar início à fase de entrega de obras em breve. Este ano será de intensa ação para a inauguração de todas as obras, com exceção do VLT que só deve ficar pronto em março”, afirmou. Dados da Secopa apontam que a implantação do VLT já está 22% concluída. Em setembro devem chegar a Cuiabá trilhos e vagões do novo modal.

Ao justificar o atraso em várias obras, Guimarães argumentou três fatores. Um deles, a questão da remoção de interferências nos canteiros de obras, como água, luz e telefonia. Outro ponto que ocasionou atrasos foi a adequação de projetos, sendo que muitos tiveram que ser reformulados devido a imprevistos, como construção de prédios de terceiros nas execuções de obras. O ponto mais preocupante hoje é a falta de mão de obra que pode impactar gerando lentidão.


Foto: Darwin Júnior

Transtornos

Entre as 12 cidades da Copa de 2014, Cuiabá é a que mais constrói e se aproveita da dádiva de ser uma das sedes do Mundial. Mais de 20 grandes obras acontecem simultaneamente transformando a capital em um canteiro de obras. No entanto, isso tem custado um preço muito alto à população, que ainda deve se preparar para mais transtornos. 

A Secopa avisou que o trevo onde está sendo construído o Complexo do Tijucal, será totalmente fechado a partir do dia 1º de fevereiro. A justificativa é de que a obra vai entrar em uma fase de alto risco para o trânsito. Assim, motoristas deverão procurar outras rotas, bem longe daquele trecho, na Fernando Correa.

“Entendemos que o momento para o trânsito é difícil, mas vejo que Cuiabá está superando isso. Lá atrás, não tínhamos ideia do impacto que seria gerado, mas hoje vejo que a população está tendo paciência e vencendo as dificuldades. Já passamos de 50% das obras concluídas. Logo estaremos na reta final das obras e teremos uma cidade melhor com um belo legado”, observou o secretário, descartando a abertura de novas intervenções de desbloqueio e ainda medidas impopulares como a adoção do rodízio de veículos como ocorre em São Paulo.

Se por um lado houveram atrasos, por outro as obras estão deslanchando com o apoio da população, segundo Maurício. Ele afirma que a grata surpresa foi o processo das desapropriações que chega ao fim sem muitos traumas. “Das 292 desapropriações executadas, estamos enfrentando apenas uma contestação”, informa. 

Cuiabá entra nos 500 dias para a Copa com previsão de um cenário desconhecido nos próximos meses. Para o secretário Maurício Guimarães, a população só deverá sentir um alívio até o final deste ano, após a entrega de várias obras, como as trincheiras e viadutos da Miguel Sutil. Embora reconheça atraso no cronograma do VLT, Guimarães aposta que o modal será entregue até março de 2014. “Estamos trabalhando com essa perspectiva. Essa obra está dentro da matriz de responsabilidade e é uma das nossas prioridades”, assegura.


Foto: Edson Rodrigues/Secopa

Projetos extintos

Se por um lado o governo se preocupa com prioridades, antigos projetos anunciados pela extinta Agecopa, foram enterrados. Esse é o caso da construção do Complexo do Porto com uma grande área cultural e revitalização de uma grande área. O teleférico de Chapada dos Guimarães, anunciado como uma das atrações do turismo durante o mundial, saiu dos planos. Os centros de treinamento (COT’s) do Morada do Ouro e Dutrinha, também foram alijados dos projetos da Secopa.

Cuiabá não vai celebrar a marca dos 500 dias para a Copa como ocorrerá em Brasília e Pernambuco nesta segunda-feira, mas a Secopa deve aproveitar o dia para a abertura da licitação do COT da Universidade Federal de Mato Grosso. Esta é uma das últimas obras a terem início no contexto da preparação de Cuiabá para o Mundial.

 

Da Redação - Darwin Júnior/ Copa do Pantanal

 

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário