29/03/2012 - PF afasta agente envolvido em tiroteio após briga de trânsito em Cuiabá

 

Delegado deve indicar os dois suspeitos por tentativa de homicídio.
Eles trocaram tiros em uma das mais movimentadas avenidas da capital.
 
A Polícia Federal de Mato Grosso afastou das funções operacionais o agente Walter Sebastião Piovan Junior, que trocou tiros com o papiloscopista Fabrício Costa Leite após uma briga de trânsito, na noite da última segunda-feira (26), em Cuiabá.
O tiroteio aconteceu próximo ao viaduto da Avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA), por volta das 19h30, horário de grande fluxo de veículos por uma das mais movimentadas vias da capital. Ambos alegaram que agiram em legítima defesa e ninguém ficou ferido no tiroteio.
 
Ao contrário do que foi anunciado logo após o tiroteio, o delegado da Polícia Civil Laudeval de Freitas disse por meio da assessoria de imprensa que deve indiciar os dois, ao fim do inquérito do caso, por tentativa de homicídio recíproca em vez de crime de disparos de arma de fogo em via pública. A direção da corporação pediu urgência na investigação do caso.
 
Em depoimento à Polícia Federal, o agente  que dirigia um carro de passeio relatou que buzinou ao ver a caminhonete S-10, conduzida pelo papiloscopista, "furar" o sinal vermelho no cruzamento entre as avenidas Mato Grosso e do CPA. Na altura de uma clínica, o papiloscopista teria reduzido a velocidade e passou a perseguir, buzinando e sinalizando com luzes, o veículo do policial federal.
 
Depois desta discussão no trânsito, ainda de acordo com o depoimento à PF, o policial disse que resolveu estacionar o carro em frente à sede da Superintendência Regional da Polícia Federal em Mato Grosso. Em seguida, Walter Piovam desceu do carro com a arma de uso funcional apontada para baixo para fazer um abordagem ao outro motorista. Contudo, segundo o relato, ele teria sido "recebido com um tiro” ao se apresentar como agente da PF.
 
A versão apresentada pelo policial difere do que já declarou o papiloscopista da Perícia Oficial e Identificação Forense (Politec) no dia do conflito. “O policial desceu atirando em mim. Eu atirei nele também”, relatou o papiloscopista.
 
Fim do tiroteio
Os dois policiais foram conduzidos para a central de flagrantes do bairro Planalto e autuados por disparo de arma de fogo em via pública. Ambos pagaram fiança de R$ 622 e foram liberados pelo delegado da Polícia Civil, Richard Damasceno. Ainda conforme a polícia, os dois devem responder a um inquérito policial e ainda a um procedimento administrativo nas corregedorias das Polícia Civil e Federal. A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) também informou que o papiloscopista não possuía porte de arma.
 
Ericksen Vital/ Do G1 MT
 

 

Comentários

Data: 29/03/2012

De: EU

Assunto: aindabem

aindabem que não era eu que estava na frente dese policial porque seria preso e culpado eu seria ovilão e ele a vitima, esa briga e boa pois não tem culpado.

Data: 29/03/2012

De: raimundo

Assunto: policia de mt

agora vamos ver quem esta falando a verdade porque e so a policia q fala verdade vc cidadao de bem pode fala mil verdade e a policia fala um mentira o delegado vai na mentira da policia pq isto e uma mafia ok.

Novo comentário