29/03/2016 - Jornalista é preso suspeito de abusar de menina de 11 anos; quase foi linchado

29/03/2016 - Jornalista é preso suspeito de abusar de menina de 11 anos; quase foi linchado

A chegada de viaturas da Polícia Militar foi providencial para evitar que o jornalista João Carlos de Queiroz, 59 anos, fosse espancado por populares, após ser preso ontem (27), acusado de abusar sexualmente de uma menina de 11 anos na lagoa Trevisan, em Várzea Grande, e também suspeito de atentar contra um menino. Ele era servidor da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Várzea Grande.
 
Boletim de ocorrência da Polícia Militar dá conta de João Carlos é amigo da família e estava passando o dia no local quando passou a mão nas partes íntimas da menina. De imediato, ela contou o fato para a tia.
 
Existem suspeitas ainda de que ele tenha abusado de um menino, também no local. Segundo o BO, ele foi visto por testemunhas saindo do banheiro com a criança. Ao ser indagado pelos populares, João teria demonstrado nervosismo e tentou fugir. Todavia, foi contido por familiares da vitimar, que cercaram o veículo.
 
No desespero, o jornalista deixou o local em alta velocidade e atropelou uma das pessoas: Venina Souza, 40 anos, que foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), com uma fratura na perna e encaminhada ao Hospital e Pronto-Socorro de Cuiabá.
 
Cercado por populares, João Carlos foi detido pela Polícia Militar e encaminhado ao Cisc Planalto, em Cuiabá. Ele deve ser recambiado para o Centro de Custódia de Cuiabá, neste terça-feira (29). Em depoimento à Polícia, a menor contou que Queiroz aproveitava o momento que a colocava no colo para colocar dedo em sua genitália.
 
O Secretário de Comunicação de Várzea Grande, jornalista Marcos Lemos, afirmou que João Carlos de Queiroz será exonerado nesta terça-feira (29). Ele era servidor da Secom de Várzea Grande desde maio de 2015.
 
“Não tem conversa: é cargo comissionado e ele vai ser demitido. Ele terá o direito de ampla defesa no âmbito judicial, mas [administrativamente] já encaminhei o ato de exoneração”, resumiu Marcão Lemos.

 

Da Redação - Patricia Neves e Ronaldo Pacheco

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário