29/04/2014 - Deputados criticam "ação política" de membros do MPE

Os deputados estaduais Mauro Savi (PR), primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, e José Riva (PSD), comentaram a decisão da juíza Célia Regina Vidotti, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, que extinguiu a ação civil pública, por ato de improbidade, proposta contra o hoje senador Blairo Maggi (PR), por conta do Escândalo dos Maquinários.“Esse é um prato requentado pelo Ministério Público. Todos sabem que, à época das denúncias, quem começou as discussões para passar toda a história à limpo e punir os culpados foi o próprio Governo do Estado. Daí, foram montados procedimentos para averiguar uma série de questões sobre esse caso específico”, afirmou.

 

O deputado disse que o arquivamento do processo foi uma "decisão clara" da juíza, de demonstrar que não havia mais o que fazer em relação a essa situação.

 

“Tudo que havia para ser feito e investigado, foi feito. É lamentável que esse tipo de ação parta de uma instituição como o Ministério Público Estaudal, que tem o dever de zelar pelo que é certo, pelo que é correto”, completou Savi.

 

Favorecimento

O deputado José Riva (PSD) afirmou que a juíza agiu corretamente ao determinar o arquivamento de ação civil pública contra o senador Blairo Maggi (PR).

 

“Desde o início, eu disse que achava um absurdo alguém tentar abrir um procedimento depois de três ou quatro anos, e com decisão tomada pela Justiça Federal. Isso demonstra claramente que tem gente, dentro do Ministério Público, que se presta a esse tipo de serviço para tentar favorecer politicamente pessoas que estão entrando agora na política”, disse Riva.

 

O deputado reiterou a "atuação política" de alguns membros do MPE e afirmou que esse comportamento vem causando certo desgaste para a instituição, principalmente porque algumas ações são "apenas repetitivas sobre fatos já julgados pela Justiça”.

A politização desse tipo de assunto, de acordo com José Riva, teria o objetivo de reacender na mídia fatos que já tiveram processos extintos, ao mesmo tempo, em que expõe negativamente alguns políticos no exercício do mandato.

 

Segundo o parlamentar, a decisão da juíza Célia Regina Vidotti expressa todo o sentimento negativo que gera esse tipo de ação.

 

“Se isso causa ‘estranheza’ na juíza, imagina na pessoa que é alvo da reabertura de uma ação que já teve decisão tomada pelo seu arquivamento”, afirmou.

 

LUIZ ACOSTA

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário