29/05/2015 - Duas audiências públicas solicitadas por Maluf acontecem nesta 6ª

A primeira será na AL, às 13h, sobre a importância da geologia. A segunda, em Chapada dos Guimarães, às 18h, para discutir as obras inacabadas no município

 

Duas audiências públicas solicitadas pelo presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Maluf (PSDB), serão realizadas nesta sexta-feira (29).

A primeira acontece às 13h, no auditório Milton Figueiredo da Casa de Leis, para debater sobre a importância da geologia para o planejamento de políticas públicas bem como as perspectivas do setor mineral para os próximos anos.

Como no dia 30 de maio é o dia do geólogo, a audiência pública foi requerida para discutir o tema junto com a Associação dos Geólogos Profissionais de Mato Grosso (Agemat), e com a Associação de Geólogos de Cuiabá (Geoclube).

“O debate sobre a importância da geologia vem se tornando cada vez mais presente na sociedade devido à importância econômica do setor mineral, assim como a relevância do entendimento desta ciência para o planejamento de uso e ocupação de solo e para conseguir lidar com as adversidades da natureza”, justificou Maluf.

Em relação a mineração, Mato Grosso se destaca no cenário nacional como produtor de ouro, diamante e calcário. O setor mineral no ano de 2013 investiu R$ 325.507.651 e gerou 11.320 mil empregos diretos. Além da logística, a instabilidade jurídica em função do longo debate de cinco anos sobre o novo código mineral são os principais entraves.

OBRAS INACABADAS

Já às 18h, na Câmara Municipal de Chapada dos Guimarães, a audiência pública requerida por Maluf discute as obras inacabadas no entorno do município, que tem causado impactos no turismo local.

“Estamos em maio e não vimos a retomada das obras inacabadas no entorno de Chapada dos Guimarães, obras que começam em Cuiabá com a duplicação do Trevo da Guia até a Fundação Bradesco, já lançada duas vezes, onde inclusive estive presente nos lançamentos e precisamos dessa retomada. Também vamos debater a pavimentação até o distrito de Água Fria, que da acesso ao Manso e também da obra da Salgadeira, além de outras obras inacabadas que são importantes para o Estado”, afirmou Maluf.

Segundo Maluf, é fundamental buscar junto a população chapadense, soluções para a estagnação do setor turístico local. “Tal pedido de audiência pública se dá em atenção ao clamor da sociedade de Chapada dos Guimarães, manifestado através de pleito formulado por comissão formada pelo prefeito e Câmara Municipal, que cobraram auxílio para solucionar esse problema. Chapada tem imenso potencial e falta infraestrutura, principalmente no acesso aos locais de visitação. Temos obras inacabadas que vão desde o complexo da Salgadeira, passando pelo Portão do inferno, Véu de Noiva”, justificou.  

 

 

KLEVERSON SOUZA / Assessoria da Presidência

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário