29/05/2015 - Polícia invade clínica e cooperativa por fraudar fisco de Cuiabá

Seis mandados de busca e apreensão foram cumpridos, na manhã desta quinta-feira (28.05), pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública, em duas empresas suspeitas de sonegação de impostos. Os trabalhos estão inseridos na Operação “Karcharias” da Segurança Pública, deflagrada pela Polícia Civil que visa a conclusão de 200 inquéritos relativos a crimes de corrupção, desvios de dinheiro público em geral, sonegação de impostos, fraudes em licitações e outros crimes correlatos que revoltam a população e gera sensação de impunidade. 

 

A delegada Cleibe Aparecida de Paula informou que as ordens judiciais foram cumpridas com objetivo de subsidiar ação fiscal a ser realizada por auditores fiscais da Prefeitura Municipal de Cuiabá. “Ha suspeitas que essas empresas estejam, ardilosamente, utilizando de supostas filiais e empresas baixadas para omitir receitas e consequentemente sonegar impostos”, detalhou a delegada. 

 

Uma das buscas ocorreu na Cooperfrente - Cooperativa de Profissionais Atuantes em Consultoria Instrutoria e Educação, que estaria fraudando o fisco municipal. De acordo com os levantamentos, a empresa estaria acobertando serviços executados em Cuiabá por meio de notas fiscais de prestação de serviços, que pertenceriam a filiais instaladas nos municípios de Nossa Senhora do Livramento e Barra do Bugres. 

 

Duas clínicas odontológicas do mesmo grupo, uma na região do Coxipó, e outra no bairro CPA II, foram denunciadas por se recusarem a fornecer notas fiscais pelos serviços odontológicos prestados. As clínicas direcionavam suas receitas a favor de uma empresa com a situação baixada. 

 

Três escritórios de contabilidade que prestam serviços as empresas também foram alvos das medidas cautelares. Foram realizadas cópias dos arquivos digitais nas empresas e apreendidas várias caixas de documentos, que serão encaminhados ao Fisco Municipal para análise e providências, sendo posteriormente restituídos a Delegacia Especializada para continuidade das investigações. 

 

Todas as empresas poderão sofrer medidas administrativas por parte da Prefeitura Municipal de Cuiabá.

 

 

Da Redação