29/06/2013 - Aprovação do governo Dilma cai de 57% para 30%, aponta Datafolha. Ministro diz que presidente está 'tranquila', segundo Agência Brasil.

Parlamentares da base do governo e da oposição afirmaram neste sábado (29) que a pesquisa que aponta queda na aprovação do governo de Dilma Roussef revela insatisfação da população com os políticos. Para deputados e senadores, eleitores demandam mudanças tanto no governo federal quanto nas demais esferas públicas, como tem sido demostrado nos protestos das últimas semanas.

 

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada neste sábado indica a redução de 57% para 30%, em três semanas, do número de pessoas que consideram a gestão de Dilma boa ou ótima. Esta é a maior queda de popularidade registrada desde o início da gestão da presidente. A pesquisa também indica que o percentual dos que consideram a gestão Dilma ruim ou péssima passou de 9% para 25%. A nota média da presidente, numa escala de 0 a 10, caiu de 7,1 para 5,8.

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), afirmou que, apesar de a pesquisa se referir ao governo federal, o sentimento de insatisfação também se refere aos governos estaduais. Para ele, o resultado era "previsível", diante da onda de manifestações que se espalharam pelo país.

 

“Não há motivo para alarme. Há uma cobrança [ dos manifestantes nas ruas]. Todos os governos, em nível estadual e municipal, agora estão se sentindo cobrados para melhorar”, afirmou Chinaglia.

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), apontado no meio político como possível candidato à presidência da República em 2014, também considera que a insatisfação revelada pela pesquisa não diz respeito apenas à gestão Dilma.
 

"As pesquisas indicam o que os protestos que mobilizam o país já mostravam: uma insatisfação dos brasileiros que, acredito, não seja apenas com relação à presidente Dilma, mas com a classe política como um todo em razão da ausência de respostas efetivas aos problemas enfrentados pelas pessoas. São déficits acumulados ao longo de anos.”, informou Aécio por meio de nota.

'Dilma tranquila'
O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse neste sábado que Dilma está "tranquila" com o resultado da pesquisa, segundo informou a Agência Brasil. “A presidenta está muito tranquila. Ela reconhece que tem uma mudança, e acha que a receita, o remédio para isso, é trabalharmos bastante. Já estamos trabalhando para entender mais pontos relativos às mobilizações populares e dar resposta", declarou Bernardo.

O ministro esteve neste sábado no Palácio do Alvorada, residência oficial da presidente. Além dele, estiveram no palácio os ministros da Educação, Aloizio Mercadante, e da Comunicação Social, Helena Chagas. Eles saíram do local sem fazer declarações à imprensa.

'Percepção momentânea"
O líder do PT na Câmara, José Guimarães (CE) também considerou que a pesquisa Datafolha reflete uma percepção momentânea sobre o estado de espírito da população “em relação ao conjunto de governos”. Ele acredita que a aprovação da presidente pode voltar a subir. “Temos que trabalhar fortemente para cumprir os pactos anunciados pela presidente. Se dermos conta dessa agenda, é possível reverter esse quadro”, declarou.

 

Já o líder do Democratas no Senador, José Agripino (RN), informou, por meio de nota, que considera o resultado da pesquisa um “claro sinal de advertência dos equívocos do PT na forma de governar". “É hora de reconhecer os erros e mudar. Acabou o tempo de o governo ser exercido em nome de uma reeleição. A crise impõe que tanto governo quanto oposição não pensem em si próprios, mas sim no futuro do país", declarou.

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário