29/08/2016 - Maioria dos municípios do Estado é ineficiente; única eficiente é Luciara

29/08/2016 - Maioria dos municípios do Estado é ineficiente; única eficiente é Luciara

A maioria das cidades de Mato Grosso são ineficientes. O município de  Luciara (1.167 km a Nordeste de Cuiabá) é a única cidade classificada como eficiente, e mesmo assim, a nível Brasil, está em 933º. O ranking foi elaborado pelo Jornal Folha de São Paulo, que divide os dados em eficiente, alguma eficiência, pouco eficiente e ineficiência. A análise foi feita entre 2004 e 2014.

O balanço aponta quais prefeituras do país demonstraram bons resultados sociais, utilizando poucos recursos financeiros. No município, a despesa total para Educação é de 21%, Saúde 27%.  A receita  de  2013, segundo os dados da Folha de São Paulo, chegou a R$ 9,8 milhões e receita total por habitante é R$ 4,5 mil.

Apesar do número benéfico, Luciara enfrenta problemas na atitude de gestores. Isso porque ontem (27) o secretário de Obras Cícero Raniel e os servidores Washington Sousa e Claumiro Ribeiro foram presos em flagrante por uso de maquinários públicos para fins particulares.

No segmento seguinte, de "alguma eficiência", aparecem 14 municípios, entre eles Lucas do Rio Verde, que costuma liderar ranking de melhor município  [Canto dobrado: A maioria das cidades de Mato Grosso são ineficientes. O município de Luciara (1.167 km a Nordeste de Cuiabá) é a única cidade classificada como eficiente, e mesmo assim, a nível Brasil, está em 933º. O ranking foi elaborado pelo Jornal Folha de São Paulo, que divide os dados em eficiente, alguma eficiência, pouco eficiente e ineficiência. A análise foi feita entre 2004 e 2014. O balanço aponta quais prefeituras do país demonstraram bons resultados sociais, utilizando poucos recursos financeiros. 

No município, a despesa total para Educação é de 21%, Saúde 27%. A receita de 2013, segundo os dados da Folha de São Paulo, chegou a R$ 9,8 milhões e receita total por habitante é R$ 4,5 mil. Apesar do número benéfico, Luciara enfrenta problemas na atitude de gestores. Isso porque ontem (27) o secretário de Obras Cícero Raniel e os servidores Washington Sousa e Claumiro Ribeiro foram presos em flagrante por uso de maquinários públicos para fins particulares. No segmento seguinte, de "alguma eficiência", aparecem 14 municípios, entre eles Lucas do Rio Verde, que costuma liderar ranking de melhor município Estado. Outros da lista são, respectivamente, Diamantino, Sorriso, Água Boa, Pontal do Araguaia, São Pedro da Cipa, Nortelândia, Nova Monte Verde, Guirantinga, Claúdia, Nobres, Jaciara, Rio Branco e Barra do Garças. Ineficiente No levantamento dos ineficientes 87 municípios, sendo o menos eficiente de Mato Grosso, Cotriguçu, que no ranking nacional está em 5.241º. A educação está abaixo da média nacional de 0,509, com 0,322. O estado mais crítico é do saneamento, em que a média nacional é 0,567 e na cidade está 0,149. A receita total em 2013 era de R$ 28,9 milhões. A receita por habitante fica em R$ 1,7 mil. Na lista de ineficientes também estão Primavera do Leste, Sinop, Tangará da Serra, Várzea Grande e Cáceres. Os pouco efientes são 32, e entre eles estão cidades como Cuiabá e Rondonópolis. A Capital tem investido bem em Educação e Saneamento, que estão acima da média nacional, mas tem pecado em saúde e no valor da receita, que estão abaixo da média. A receita está em R$ 1,4 bilhão, em 2013. A receita por habitante R$ 2,5 mil. Mato Grosso tem 141 cidades, porém algumas cidades não foram citadas na lista, tendo um total de 134 no ranking da Folha. O levantamento pode ser acessado aqui. O curioso é que existe uma linha clara que mostra que quando mais para o litoral, maior é o número de cidades eficientes.]  Estado. Outros da lista são, respectivamente, Diamantino, Sorriso, Água Boa, Pontal do Araguaia, São Pedro da Cipa, Nortelândia, Nova Monte Verde, Guirantinga, Claúdia, Nobres, Jaciara, Rio Branco e Barra do Garças.

Ineficiente

No levantamento dos ineficientes 87 municípios, sendo o menos eficiente de Mato Grosso, Cotriguçu, que no ranking nacional está em 5.241º. A educação está abaixo da média nacional de 0,509, com 0,322. O estado mais crítico é do saneamento, em que a média nacional é 0,567 e na cidade está 0,149. A receita total em 2013 era de R$ 28,9 milhões. A receita por habitante fica em R$ 1,7 mil. Na lista de ineficientes também estão Primavera do Leste, Sinop, Tangará da Serra, Várzea Grande e Cáceres.

Os pouco efientes são 32, e entre eles estão cidades como Cuiabá e Rondonópolis. A Capital tem investido bem em Educação e Saneamento, que estão acima da média nacional, mas tem pecado em saúde e no valor da receita, que estão abaixo da média. A receita está em R$ 1,4 bilhão, em 2013. A receita por habitante R$ 2,5 mil. 

Mato Grosso tem 141 cidades, porém algumas cidades não foram citadas na lista, tendo um total de 134 no ranking da Folha. O levantamento pode ser acessado aqui. O curioso é que existe uma linha clara que mostra que quando mais para o litoral, maior é o número de cidades eficientes.

 

 

Midia News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário