29/09/2014 - "Se o Pedro Taques estivesse tranquilo, não me atacaria desse jeito"

O candidato a governador Lúdio Cabral (PT) afirmou que seu adversário, Pedro Taques (PDT), adotou postura de “ataque ininterrupto”, durante debate na TV Record (Canal 10), por estar “desesperado”.

“Foi um debate revelador. Nas oportunidades que tivemos para mostra propostas, procuramos apresentar. Agora, vocês puderam perceber o desespero do Taques, que ocupou todo o tempo dele para me atacar. A estratégia dele foi de ataque ininterrupto a minha candidatura, inclusive quando respondia questionamentos de outros candidatos”, afirmou à imprensa após o fim do debate.

Para o candidato do PT, se Taques estivesse “tranquilo” em primeiro lugar nas intenções de votos, não iria adotar a tática de ataque ao segundo colocado.

“Sinal de que o segundo turno está, hoje, consolidado. Se estivesse tranquilo para ganhar a eleição em primeiro turno, não se preocuparia em atacar o adversário que está em segundo. As pesquisas divulgadas já mostram que, matematicamente, haverá segundo turno”, disse.

“Temos um forte crescimento da nossa candidatura, o que sinaliza para uma disputa de dois turnos. Inclusive, com possibilidade de chegarmos à frente já no primeiro turno”, afirmou.

Segundo Lúdio, outra prova do “desespero” de Taques seria o fato de sua coligação, “Coragem e atitude pra mudar”, descumprir decisões judiciais.

“Não há outra razão para que o Taques tenha optado, nas últimas semanas, em desferir ataques permanentes contra nós. Descumprindo até decisões judiciais. Como eles tem milhões para gastar, não estão preocupados com as multas que a Justiça Eleitoral está impondo”, afirmou. 

Tensão nos bastidores

Lúdio negou que tenha desrespeitado Taques após o fim do debate desta sexta-feira (26).

Ainda no estúdio, ele tentou entregar a Taques duas procurações para que o adversário tenha acesso aos seus dados fiscais e bancários.

No entanto, Taques não aceitou pegar o documento, e pediu que Lúdio entregue ao Ministério Público.

“Eu fui, simplesmente, entregar a procuração nas mãos dele e ele desviou e quis ir embora. Fui entregar porque ele determinou ao coordenador de campanha fosse buscar nossos dados na Receita”, afirmou.

“Cobrei que recebesse a procuração das minhas mãos e que tivesse a mesma iniciativa em fazer uma procuração para mim. Na resposta, disse que iria me dar uma procuração para que eu tivesse acesso aos dados dele. Mas quando fui entregar ele não quis receber, fugiu”, disse.

Para Lúdio, o candidato do PDT tem tido postura “arrogante” diante dos eleitores.

“Esse comportamento arrogante demonstrado hoje pelo nosso adversário é muito negativo. Mas vamos continuar a campanha pautado o debate político. Porque é nesse ponto que veremos diferenças importantes”, afirmou.

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário