29/09/2014 - Após tensão nos bastidores, candidatos focam nas propostas em penúltimo debate

O penúltimo debate ao Governo do Estado antes da eleição do dia 5 de outubro foi muito mais ameno que o tenso encontro da última sexta-feira, quando os candidatos Lúdio Cabral (PT) e Pedro Taques (PDT) protagonizaram trocas de farpas e críticas no ar, e um bate boca nos bastidores, ao fim do programa, quando o petista tentou entregar ao senador uma procuração sobre a quebra do seu sigilo.

Neste domingo, o foco acabou sendo mesmo as propostas. Nenhum candidato dirigiu uma crítica ou ataque direto a algum adversário, e nenhum candidato pediu direito de resposta.
 
Jante Riva (PSD) foi a primeira a chegar aos estúdios da TBO. Ela, que substitui o marido, José Geraldo Riva (PSD), que teve sua candidatura barrada pela Justiça Eleitoral, afirmou que espera um debate propositivo. “Espero que os candidatos se atenham a apresentar seu programa de governo e que não caiamos num ring, porque não é isso o que a população espera”, declarou.
 
O segundo a chegar foi Pedro Taques (PDT), que alegou ter vindo preparado para debater propostas. “Espero um debate propositivo , nós viemos para apresentar as nossas propostas, aprovamos a ficha limpa no congresso para impedir que candidatos desesperados possam participar de debates como o de hoje”, argumentou.
 
O candidato do Psol, José Roberto, também defendeu um debate mais leve que o passado. “Espero que os candidatos se concentrem em apresentar apenas propostas, pois o eleitor não pode ser penalizado por brigas individualizadas”, alega
 
O último a chegar foi Ludio Cabral. “Nossa expectativa é apresentar nosso programa de metas para formar a opinião do eleitor. Nosso objetivo é esse, mas não vamos ser atacados e deixar sem resposta. Em função do ultimo vexame, eu prefiro não tentar mais entregar a procuração da minha quebra de sigilo. Esses dados já estão sendo disponibilizados nos nosso canais de comunicação”, afirmou, em referência ao bate boca protagonizado por ele e Pedro Taques ao término do debate da Gazeta.

Veja abaixo o debate em tempo real.

22h42 - Janete Riva

A candidata agradece ao eleitor que acompanhou o debate. Ela afirma que quer cuidar da população mato-grossense, com bolsa família estadual. “Quero cuidar das nossas crianças”. Ela promete um crescimento econômico e social. “Preciso do seu voto. Dia cinco, vote Rui Prado 555. Elegendo uma mulher, faremos justiça democrática, nunca uma mulher foi governadora”, alega. Ela finaliza ainda pedindo votos para os candidatos proporcionais do PSD.

22h42 - Lúdio Cabral

"Quero agradecer a todos os trabalhadores da TBO, os candidatos adversários e a população que está nos assistindo. Sou candidato a governador para realizar um ciclo novo de governos, para governador sem prepotência, sem arrogâncias, compartilhando os destinos do nosso Estado com nosso povo, estar em permanente movimento pelo estado, vivenciando a realidade. Governar para todos, não para uma meia dúzia de bilionários, mas com atenção aos mais pequenos mais frágeis, em todos os setores. Realizar o direito da população trabalhadora na saúde, na segurança. Governar ao lado da presidenta da república, para num esforço de união, trabalharmos todos os dias de forma incessante para garantir os direitos da nossa população". 

22h41 - Pedro Taques

Eu quero agradecer ao telespectador que assistiu a esse debate, que é um instrumento de democracia. No dia da eleição você vai entregar uma procuração para seus representantes. Mato Grosso não pertence aos políticos, pertence ao povo. Se for pela vontade de Deus e do povo, eu serei governador. Quero agradecer a minha família e pedir voto para Rogério Salles ser senador. Pedir votos para os nossos deputados federais e estaduais. Desejamos mudar Mato Grosso, fazer com que ele seja mais justo, mais eficiente. Na realidade o que interessa não são obras, o que interessa é tratar gente com respeito, com dignidade, para isso que eu renunciei a um cargo vitalício, para isso que eu estou na política".

22h40 - Candidatos fazem suas considerações finais.

23h37 - José Roberto agradece o espaço concedido e agradece ao eleitor que acompanhou os debates e as propostas e defende que o eleitor repare nas incoerências dos postulantes. Ele defende um governo próximo da população, um governo a serviço do povo e pede votos para os candidatos do Psol, para senado, um candidato, que segundo ele, vem fazendo contrapontos aos adversários, e pede voto para Procurador Mauro a deputado federal. “Meu nome é José Roberto 50”, finaliza. 

22h27 - Lúdio Cabral dirige-se a José Roberto, lembra de sua luta contra a concessão do saneamento e quer saber as propostas do socialista. Roberto diz que os recursos para o saneamento se perderam no ralo da corrupção. Ele promete investir no saneamento de forma séria, com foco no resultado. “Não temos a prática adotada historicamente de as pessoas se apropriarem dos recursos. Lúdio diz que o principal foco do estado deve ser ajudar os municípios a acessar recursos federias. Já José Roberto retoma a fala diz que o estado não pode deixar o saneamento nas mãos apenas dos municípios. “Verba federal estão chegando no final do serviço, o estado tem que participar de forma mais efetiva”, completa.

22h22 -- José Roberto pergunta sobre o plano de governo de Lúdio para a Saúde.
 
Lúdio respode que a primiera tarefa é subsitutuir o modelo de gestão de OSS e retomar e gestão direta deles, pois precisamso de recursos para aproximar os serviços de saúde aos cidadãos nos municípios, ampliar os programas de saúde da família e dar capacidade plena aos hospitais municipais, são 55 em todo o estado. São 1.250 leitos que precisam ser qualificados para atender com dignidade a população. Precisamos equipar os hospitais, SAMU em 100% dos hospitais.
 
José Roberto diz que o Estado precisa pensar na construção de vagas e disse que o hospital Julio Muher está com as construções atrasadas.
 
Lúdio pontuou que pretende fazer de 3 hosptais, de Rondonópolis, Cáceres e Sinope, hospitais de ensino para formarmos novos médicos e especialistas para todo o nosso estado.

22h19 - Agora Janete Riva pergunta a Pedro Taques sobre o funcionamento da Sema. O pedetista afirma que é preciso criar sistemas para que a Sema funcione, descentralizando o sistema. “Precisamos sim valorizar o setor de base florestal”, argumenta, defendendo a atividade e criticando a morosidade da Sema em emitir licenças ambientais. Na réplica, Janete Riva promete tornar a Sema mais ágil e diz que uma licença ambiental não pode durar mãos de 90 dias. Na tréplica, Taques diz que não é necessário desmatar para aumentar a produção do estado, e diz que o setor já está consciente da necessidade de preservar o meio ambiente. 

22h15 - Pedro Taques pergunta para Janete Riva. "A senhora deve saber que Mato Grosso temos 8% da população de analfabetos. No programa de governo da senhora como resolver isso?".
 
Janete responde: "Nós precissamos ampliar e muito as vagas nas nossas escolas, hoje não é possível se comprometer com a escola integral, precisasmo fazer cursos de formação, fazer parcerias para que o EAD venha para somar com as pessoas que não podem frequentar um banco de escola. Vamos investir na educação da criança, do jovem e do adulto de uma forma maciça. Vamos fazer uma revolução na educação, alfabetizando todos os cidadãos de Mato Grosso".
 
Pedro Taques diz que esses 260 mil analfabetos são acima de 15 anos, por isos temos que investir na formação desass pessoas, por isos temos que investir na formaçcao de professores.

Janete afirma que precismos investir em tecnologia, no meu governo as escolas terão laboratórios e lousas digitais, precisamso fazer atrativos para que o jovem venha para a escola. 

22h06 - Janete Riva diz que moralizou a cultura de Mato Grosso e quer saber as propostas de José Roberto para a pasta. Ele defende a ampliação dos investimentos na Cultura, para sair da “mesmice”. “Nós temos que avançar neste campo. Temos que ampliar a participação dos artistas nos conselho, a maioria tem que ser da classe artística”, defende.
 
Na réplica, Janete promete cuidar como nunca ninguém cuidou da cultura de MT, com a criação de teatros de arenas em todas as cidades polos. Na tréplica, o socialista defende a ampliação da cultura, ampliando os recursos. “A classe vem sendo relegada”, critica.

22h04 - Lúdio Cabral agora questiona a Janete Riva sobre o programa dela para a saúde de Mato Grosso. A candidata cita a recuperação dos hospitais regionais e a reutilização de prédios que já estejam prontos, mas sem atividade, além de aumentar de 12 para 14% os recursos da saúde. Na Réplica, Lúdio defende como prioridade a aproximação do atendimento nos municípios e a revitalização de hospitais locais. Janete Riva promete um comitê gestor para que os servidores façam a gestão do MT Saúde.

22h02 -- Pedro Taques pergunta para o candidato Lúdio. Mato Grosso tem hoje 10.600 presos, muitos desses são jovens, somos o 8º estado da federação em número de presos.
 
Lúdio diz que a primeira coisa é que Taques está com dados desatualizados, afirmando que a população carcerária é de apenas 9.400 pessoas porque houve um multirão que conseguiu reduzir a nossa população carcerária. O grande problema hoje é a necessidade de abertura de novos presos para o regime semi aberto. Queremos instalar cinco colônias industriais, já há um convenio do governo do estado assinado, que permitirão a abertura de mil vagas para a qualificação de presos e abrindo vagas de trabalho.
 
Taques responde. Mais uma vez o candidato do PT chuta números, nos não podemos tratar do sistema penitenciário dessa forma. Nós precisamos reestabelecer a fundação nova chance, dando dignidade e oportunidade para aquele cidadão que está preso.

Lúdio diz que vai pedir ao candidato  Taques que consulte o corregedor geral da justiça, eu falei das colônias industrias pensando na oportunidade de educação para os presos. Precisamos amplia a opurtunidade de educação formal para os presos. 

22h54 - Começa o terceiro bloco do debate, com a pergunta de José  Roberto para Pedro Taques. O socialista defende uma ampla participação popular em seu governo e pergunta a posição de Taques. O senador afirma que tem a transparência como meta, não apenas com a criação de sites. Taques também defende o fortalecimento dos conselhos municipais e a cooperação com os municípios para a participação dialógica da população. “As decisões (hoje) são tomadas na calada da noite”, critica.
 
José Roberto retruca defendendo a abertura de espaço para a população participar, e Taques diz que concorda, citando novamente as associações e grupos comunitários. Ainda defende a assistência social e volta a defender a cooperação do Estado com os municípios.

21h50 - Lúdio: "Primeiro nós precisamos ampliar a política de segurança dentro da filosofia de segurança pública comunitária, identificando as mulheres que são lideranças para mediação dos conflitos de vizinhança, dos conflitos domésticos. Precisamos oferecer no sistema educacional formal, por meio da Universidade Pública Comunitária para a mulher se qualificar e acessar uma qualificação para melhorar a renda das famílias. Na saúde da família, nos asseguramos o cuidado das mulheres. Agora é muito importante nós compartilharmos o poder do estado com essa parcela importante da população. Vamos conceder as mulheres um terço dos cargos".
 
Janete diz que nos seu governo a mulher será prioridade e será respeitada. Vamos criar a delegacia da mulher 24 horas. Vamos implantar casas de proteção e amparo para elas.
 
Lúdio afirma que todos somos filhos de uma mulher e ao assumir o compromisso público temos que trabalhar com foco nessa parcela da população. "Precisamos qualificar as equipe de prevenção primaria para qualificar o trabalho de prevenção do colo de útero nas mulheres. Dar condições para que as mães tenham tranqüilidade de que seus filhos estão sendo bem cuidados na escola.  E vamos construir um Hospital Materno Infantil onde hoje é o Hospital Júlio Mulher". 

22h42 - Agora José Roberto questiona Janete Riva sobre o combate a corrupção. A peessedista afirma que a lei da transparência entra em vigor em 2015, após a aprovação da assembleia. Ela cita sua experiência na secretaria de Cultura e promete implantar a lei da transparência da forma correta. Na réplica, José Roberto cita o grande número de trabalhadores temporários no atual governo, o que acaba sendo fruto de barganha política, segundo ele, criando um cabide de emprego. Janete afirma na tréplica que não pode ser hipócrita ao ponto de negar a presença de servidores comissionados, mas defende a eficiência em sua futura gestão. 

21h30 - Pedro Taques pergunta para José Roberto. A questão do tráfico de drogas e armas é um dos grande problemas de Mato Grosso, quais são suas propostas para diminuir isso.
 
José Roberto responde que as drogas e armas entram pela região de fronteiras. "O patrulhamento das fronteiras é uma atribuição que deve recair ao Exército, mas o estado não pode esquecer de fazer a sua parte. Temos que tomar as medidas, fortalecendo o Gefron, que hoje tem policiais arriscando suas vidas sem estrutura e fazendo um trabalho que não vem impedindo a entrada dessas armas e drogas. Temos que dar condições para que eles trabalhem", afirma.
 
Pedro Taques diz que não é só a polícia, "precismos investir nos municípios criando opotunidades para que o cidadão não entre no mundo das drogas, e não entre no tráfico de armas", completa.
 
José Roberto diz que na podemos esquecer também dos nossos presídios, que estão abandonados. "Temos que fazer investimentos sob pena de ao invés de fazer o combate do crime, termos que incentivar a violência. Os agentes penitenciários precisam ser valorizador, eles trabalham em condições precárias". 

22h35 - Começa o segundo bloco, com perguntas diretas entre os candidatos.

O primeiro a perguntas é Lúdio Cabral, que dirige-se a Pedro taques. Ele questiona quantos quilômetros de  asfalto Taques irá fazer. O pedetista defende a competição entre modais. Ele promete ampliar e concluir o MT Integrado e o MT pontes, além de destinar corretamente os recursos do Fethab. “Precisamos terminar a MT100 a MT110”, afirma, entre várias rodovias citadas. Também promete trazer a ferrovia a Cuiabá.
 
Na réplica, Lúdio afirma que fará 1600 km de novas rodovias pavimentadas. Na tréplica, Taques cita um relatório, segundo o qual, 80% das rodovias de MT estão em péssimo estado. Ele diz ainda que fará junto com os municípios fará a conservação das estradas vicinais, com um eixo de integração e investimento de leste a oeste.

21h25 - Pedro Taques afirma que segurança pública não é sinônimo de polícia. "Mas nós temos que investir em educação, investir numa escola que seja um novo espaço de saber para evitar que crianças que estejam em condições de vulnerabilidade entrem no mundo das drogas. Se iluminarmos uma rua escura diminuímos a insegurança. Precisamo de mais 7 mil policiais militares, mais 125 delegados de policia, 2 mil investigadores, precisamos humanizar o atendimento nas delegacias de polícia, dando condições para que os servidores possam ter condições de atender os cidadãos. Precisamos interligar as delegacias do estado, faremos concursos e manteremos todos os ganhos salarias".

Lúdio comenta que a primeira tarefa é nomear todos os aprovados no último concurso do governo, 1200 policias militares, 600 policiais civis, 300 bombeiros, para diminuir o déficit. "Nós temos que trabalhar com inteligência policial a partir dos recursos existentes. Enfrentar o novo cangaço e cuidar da vigilância da fronteira e expandir o programa rede cidadão de parceria com as escolas".

Taques concluiu afirmando que vai chamar todos os concursados, fortalecer a Politec, o Gefron, e criar oportunidades nos municíoios da fronteira para que a droga não chegue em Cuiabá e Várzea Grande. "Nós não cortaremos recursos para a segurnaça pública, nos valorizaremos o policial". 

22h22 - Agora o candidato José Roberto abordará os incentivos fiscais. Ele cita a guerra fiscal e defende o acompanhamento dos incentivos ficais concedidos em MT, porque, segundo ele, não dá para ter um parque industrial sem incentivos fiscais, e afirma que Mato Grosso tem potencial para desenvolver sua industrialização. Apesar disso, ele critica o atual modelo, porque não há contrapartida social das empresas. “Sabemos que determinado setor veem ditando as regras em Mato Grosso”, critica.
 
A réplica fica por parte de Pedro Taques. O pedetista afirma que os incentivos são um instrumento tributário criado ajudar para mercados como o nosso, que precisa resolver muitos gargalos. “Precisamos de incentivos ficais”, alega, pois, segundo ele, o instrumento gera mais empregos e renda, mas isso sem pessoalização, sem privilegiar os amigos de quem estáa no poder.
 
Na tréplica, José Roberto afirma que o estado tem que avançar atraindo empresas para manufaturar os produtos primários produzidos em Mato Grosso.

21h18 -  Janete Riva afirma que além da construção do hospital estadual em Cuiabá com 300 leitos, 50 leitos de UTI, UTI neo natal, vai recuperar o hospitais regionais, "mas acima de tudo teremos todas as especialidade e fazer a extinção gradativa das OSS.  Na questão da medicação, por isso temos compromisso com nosso vice, não vamos deixar faltar medicamentos na farmácia básica. Precisamos melhorar nossas estradas porque o maior índice é de acidentes de trânsito no pronto-socorro".

Jose Roberto comentou que saúde publica é complicada no estado. "Não temos temos atendido a nossa população, muitas pessoas têm morrido por falta de vagas, medicamentos temos que avanaçar nesse tema, temos que aumentar os leitos, fazer a consutrução do hotpisital estadual, o estado tem que participar".
 
Janete promteu aumentar de 12% para 14% o volume de rescurso para a saúde pública. Precisamos dar o prêmio saúde

22h12 - Começa o debate da TBO. Neste primeiro bloco, os candidatos respondem perguntas sobre temas específicos pré-estabelecidos.
 
O primeiro tema sorteado é Educação e quem responde será Lúdio Cabral (PT). O petista promete apoiar os municípios e organizar um sistema único de educação em Mato Grosso, articulando o acesso aos recursos do ministério da educação e ampliar o tempo das crianças nas escolas. No ensino médio, promete mudar o modelo de ensino, utilizando o modelo de referência das escolas técnicas. Isso além de valorizar os profissionais da educação.
 
Janete Riva comenta o plano apresentado por Lúdio. Ela defende a implantação da meritocracia nas escolas, que vá da merendeira à diretora das unidades de ensino.
 
Na réplica, Lúdio promete ganhos reais aos profissionais da educação e oportunizar aos trabalhadores da educação qualificação profissional, com diálogos e a democratização da educação.

 

 

Da Reportagem Local - Lucas Bólico e Raoni Ricci

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário