29/11/2014 - Taques já estuda possibilidade de não acabar com a Secom

Cotada para ser extinta e se transformar apenas em uma agência ligada a Casa Civil, a Secretaria de Comunicação Social de Mato Grosso pode sair da lista de órgãos sem estrutura própria como o governador eleito Pedro Taques (PDT) pretende fazer com outras pastas como Turismo e Cultura.   

 

Com um orçamento de R$ 26 milhões para 2015, a Secom, que será comandada pelo jornalista Jean Campos, considerado um dos primeiros escudeiros do governador eleito, a Secom começa a ser vista por Taques como fundamental para a sua visibilidade política e a divulgação de seu trabalho na nova função política. Neste contexto, um estudo contratado junto a Fundação Dom Cabral para analisar a pasta como agência começa a perder força no futuro governo.   

 

A peça orçamentária para o próximo ano, que está sob o crivo de Pedro Taques, assim como de parlamentares da Assembleia Legislativa, mantém um aporte financeiro mais enxuto para a pasta, mas com a necessidade de um trabalho mais voltado ao público na divulgação pública. A verba para o setor também poderá ser reavaliada, ainda segundo fonte, prevendo maior economia.   

 

Assessor do governador eleito desde 2010, o futuro secretário de Comunicação, Jean Campos, procura despistar sobre a possibilidade de sua pasta passar a ser apenas uma agência, lhe tirando plenos poderes. Ele diz que está junto a Fundação Dom Cabral mapeando as as perspectivas para otimizar o setor, seguindo à risca as determinações do governador Taques de “fazer o melhor com zelo pelos recursos públicos”.   Jean, no entanto confirma que a comunicação do Executivo passará por mudanças emblemáticas, para maximizar o potencial dentro de novos conceitos, como assegura Jean Campos. 

 

 

Valdemir Roberto e Maurício Cruvinel | Redação 24 Horas News 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário