30/01/2011 13h:41 Programa apoia boas práticas agropecuárias

As exigências do mercado mundial ampliaram a cobrança pela qualidade dos produtos, condição de trabalho nas propriedades e a sustentabilidade da atividade agropecuária. Por isso, o Governo Federal criou o Programa Nacional de Fomento a Boas Práticas Agropecuárias (PRO-BPA) para incentivar o produtor rural a usar técnicas sustentáveis de produção.

O objetivo do programa é desenvolver políticas públicas de apoio à adoção e implementação de boas práticas em propriedades de diversas cadeias produtivas. Ele será desenvolvido pelos ministérios do Meio Ambiente, da Agricultura e do Trabalho e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com o setor produtivo.

Dentre os exemplos de boas práticas estão os Sistemas Agroflorestais, onde são plantadas árvores nativas junto com cultivos agrícolas e animais, Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC), recuperação de pastagens degradadas, entre outros.

Essas boas experiências de produção sustentável serão divulgadas em palestras e seminários. O grupo de trabalho do programa também vai trabalhar na capacitação de técnicos, produtores e funcionários que trabalham diretamente com a produção no campo, além de elaborar cartilhas de boas práticas.

Para o analista ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Cláudio Santos, a proposta de implementar as atividades de forma conjunta dá mais representatividade e visibilidade ao programa. A partir do grupo de trabalho, as forças se potencializam em prol do objetivo comum: melhor produção com sustentabilidade, ressaltou ao lembrar que as boas práticas envolvem toda a cadeia produtiva, desde a gestão da propriedade, uso racional de insumos e recursos hídricos, até o controle sanitário e ações de bem-estar animal.

A portaria interministerial que cria o Programa Nacional de Fomento a Boas Práticas Agropecuárias foi publicada na quarta-feira (25/01). Cada órgão envolvido tem 15 dias para indicar o nome para compor o comitê gestor do programa. Os ministérios também terão grupo de trabalho interno para dar subsídios ao comitê gestor.

 

Carlos Américo