30/01/2011 - 18h46 Atriz capricha no preparo físico para papel em 'Araguaia'

Para Cinara Leal, a expressão corporal é muito importante na hora de compor um personagem. O pensamento é diretamente ligado aos anos em que ela dedicou-se ao balé. "Adoro dançar. Comecei aos cinco anos e me tornei profissional. Porém, atuar falou mais alto", contou. No ar como a desinibida Safira, de Araguaia, a atriz caprichou no preparo físico para protagonizar as cenas de biquíni e roupas curtas da personagem, que está sempre na companhia de suas irmãs Ametista e Esmeralda, de Nanda Lisboa e Raquel Villar, respectivamente.

"Fiquei um pouco preocupada. Não existia um desenvolvimento da sensualidade. Ainda bem que foi tudo feito de forma natural. Existem muitas garotas iguais a elas na região do Araguaia", contou a atriz, com a propriedade de quem conheceu a região no período em que ficou gravando a novela nas cidades de Pirenopólis, no estado de Goiás, e em São Félix do Araguaia, em Mato Grosso.

O papel na novela de Walther Negrão não surgiu por acaso. Cinara ficou sabendo dos testes para o folhetim e foi atrás da produtora de elenco Frida Richter pedir para fazer o teste. "Dois ou três meses depois de uma novela começar, a outra já começa a ser produzida. Já sabia disso", destacou. O maior problema da atriz era a idade de Safira. A personagem tem 25 anos, e Cinara, 32. Com isso, ela lançou mão de alguns artifícios para conseguir o papel. "Fui vestida de moleca. Roupa florida e maquiagem leve. Deu certo", jurou.

Com a personagem em mãos, a atriz começou a frequentar o workshop promovido pela emissora para estudar a região e para conhecer os outros atores do seu núcleo. "Foi fundamental ter um tempo para conhecer melhor a Raquel e a Nanda. Assim pudemos criar uma relação bacana, que transparece nas cenas", falou. Outro ponto importante no processo de criação foi atenuar seu forte sotaque carioca. Cinara contratou uma fonoaudióloga para evitar a musicalidade típica do modo de falar de quem cresce na cidade do Rio de Janeiro. "Essa malandragem do carioca na fala é muito evidente e não ficaria bem na personagem", justificou.

Atualmente, ela comemora o inesperado crescimento de Safira na trama. Se antes, as cenas de banhos de rio e farras juvenis dominavam a participação da atriz na novela. Agora, a personagem se vê diante de dois acontecimentos de forte dramaticidade. "Ela vai descobrir que o homem que a criou, não é seu pai biológico e por isso vai procurar suas raízes. Essa situação me dá ferramentas para deixar a personagem mais interessante", adiantou. Além disso, Safira se envolve sentimentalmente com Geraldo, o delegado conservador e de caráter duvidoso interpretado por Ângelo Antônio. "Outro lado da personagem vai ser explorado. Ela vai trazer mais leveza para a vida dele. Porém, se envolver com um homem casado não é um bom negócio. Acho que muita gente vai se identificar", apostou.

O desdobramento da história de Safira na trama foi muito bem recebido pela atriz. Mesmo que esse desenvolvimento venha com uma carga de trabalho maior. "A pressão aumentou. Nem digo da equipe da novela, mas sim pessoal. Sou crítica e quero fazer o melhor. Não posso deixar dúvidas em relação ao meu trabalho", explicou. A novela termina em abril e Cinara já começa a pensar em sua volta aos palcos, com a companhia de teatro Brecha Coletivo, e também em novos projetos para a TV. "Emendar trabalhos não seria um problema para mim", avisou.

Geraldo Bessa
TV Press