30/01/2012 - Polícia Civil descobre chácara usada como depósito de maconha e treinamento de galos de briga

 

 
 
A Polícia Judiciária Civil apreendeu 33 quilos de maconha e 65 galos de briga, em uma chácara, no bairro Parque Atalaia, neste sábado (28.01). O local servia de depósito de drogas e treinamento dos animais utilizados em rinhas de galos com apostas, na Capital. O flagrante foi efetuado pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), na operação “Atalaia”, oriunda de denúncias investigadas há cerca de um mês. Quatro pessoas foram autuadas por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Um é menor de 18 anos.
 
A chácara pertence à Silvio Marino Thome, que ao avistar os policiais fugiu pelo mato dispensando alguns tabletes de droga e uma balança de precisão. Mas os policiais conseguiram prender em flagrante Elicarlo Rodrigo Neto, abordado em um Montana preto, com 10 quilos de maconha; Vania Aparecida Neves Vilela, mulher do dono da chácara; Olindo Mario Oliveira Nunes; e fazer apreensão de um adolescente de 14 anos, filho do casal.
 
Os policiais da Especializada monitoravam um suspeito que buscaria droga na região. Nas proximidades da chácara, os investigadores realizaram a abordagem de um veículo Montana, conduzido por Elicarlo Rodrigo Neto e ao vistoriar o carro descobriram 10 quilos de maconha na carroceria, embaixo dois pneus estepes.
 
Como o veículo tinha acabado de sair da chácara nº 16, localizada no final Rua S, do bairro Parque Atalaia, nas proximidades do rio Cuiabá, os policiais foram até a propriedade, quando avistaram o dono do imóvel fugindo em direção ao rio.  
 
Em buscas pela chácara, os policiais encontraram enterrados em um buraco no meio do mato 22 quilos distribuídos em sacos dentro de uma espécie de isopor e 1 quilo dentro de um veículo Voyage prata, ainda sem placa, totalizando 33 quilos do entorpecente. Na residência, também foram apreendidos R$ 12 mil, dinheiro supostamente do pagamento dos 10 quilos de maconha, apreendidos na pick-up Montana.  
 
O delegado Gustavo Garcia Francisco ressaltou o enriquecimento ilícito do casal de traficante, que havia comprado a chácara recentemente e no dia 18 de janeiro adquiriu outra propriedade rural por cerca de 65 mil, no município de Santo Antônio do Leverger, além de duas motocicletas Bis e o Voyage. “Tudo com o dinheiro do tráfico”, frisou.
 
O casal dono da chácara tem passagem por tráfico de drogas.
 
 
Rinha de Galo
 
A chácara também era usada para treinar galos de briga usados em lutas com apostas. Cerca de 65 galos foram encontrados todos lesionados, sendo 1 quase morto, devido aos treinamentos que eram submetidos para as rinhas de galo. O delegado Carlos Fernando Cunha, titular da Delegacia do Meio Ambiente, esteve na propriedade e confirmou os maus-tratos dos animais, crime, que segundo ele, irá responsabilizar o dono do imóvel. “São animais submetidos a sofrimento desnecessários para satisfação humana”, destacou o delegado a briga entre galos.
 
O delegado disse que os galos serão encaminhados para viveiros individuais, pois não podem dividir o mesmo espaço e na segunda-feira (30.01), entrará em contato com o Zoológico da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), para recebimento dos animais.
 
 
LUCIENE OLIVEIRA/ Assessoria/PJC-MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário