30/01/2012 - Revoltada, comunidade atea fogo na casa e tenta linchar pedófilo-assassino

 

Foram duas mortes brutais contra duas meninas indefesas em sem nenhum poder de reação, pois tinham  apenas 12 e 13 anos respectivamente. Um garoto de 14 anos também levou algumas facadas e continua hospitalizado em estado grave com risco de morte. O pedófilo Francisco da Silva, o “Chico”, de 90 anos, foi preso logo em seguida quando tentava fugir.

 

“Eu nunca vi tanta violência em toda a minha vida. Esse homem, que mais parece um monstro estava louco quando, Ele tentou agarrar as duas meninas para estuprar, mas elas reagiram. Tentaram correr, mas foram sendo mortas uma ao lado da outra”, disse uma mulher moradora do Jardim Ipanema, em Várzea Grande (Grande Cuiabá).

 

Um garoto de 14 anos também foi tentar salvar as duas amiguinhas, mas também levou algumas facadas. “Foi um crime bárbaro. Foram duas mortes brutais, daquelas que a gente pensa que nunca vão acontecer, mas acontecem”, disse uma amigos das vítimas.

 

Revoltada, a comunidade do Jardim Ipanema ao aldo dos Jardim das Oliveira onde o pedófilo-assassino era presidente do bairro, não só tentaram linchá-lo, como atearam fogo na casa do matador, preso em flagrante pela Polícia Militar, saindo do local do crime.

 

As vítimas, as meninas Franciele Rodrigues de Moraes, de apenas 12 anos, e Stefani Loraíne da Silva, de 13 anos, segundo uma testemunha, foram perseguidas até a morte. As duas foram assassinadas por volta das 3 horas da madrugada deste domingo (29), na madrugada mais violenta de 2012 e uma das mais trágicas dos últimos anos na Grande Cuiabá.

 

Além das duas meninas, o pedófilo Francisco da Silva ainda tentou matar o menino Gabriel Castro Rocha, de 14 anos. O garoto também foi esfaqueado, mas sobrevive, mesmo em estado muito grave.

 

O  duplo homicídio seguido de uma tentativa de assassinato aconteceu no Jardim Ipanema, em Várzea Grande.  Os crimes chocaram a comunidade local. “Esse descgraçado não pode continuar vivo. Ele agora está dando uma de coitadinho, mas não passa de um monstro-asssassino que vivia entre a gente com pele de cordeiro. Sabe-se lá quantas crianças ele não violentou em toda sua vida de pedófilo”, desabafa uma moradora.

 
 
José Ribamar Trindade/ Da Redação do 24 Horas News
O Repórter do araguaia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário