30/01/2012 - Rita Lee se despede dos shows na delegacia; cantora acusada de desacato

 

“Ansiedade generalizada sob contrôle. Insegurança OFF. Prazer ON. Inspire, expire, pire. Em 5 4 3 2 1.... ”. Foi assim que a cantora Rita Lee descreveu o momento que antecedia sua entrada no palco para o último show de sua carreira na noite desse sábado, em Aracajú. O que ela não previa era que terminaria a noite em uma delegacia, acusada de desacato e apologia ao crime.

 

Usuária assídua do Twitter, a roqueira narrou sua revolta no microblog. “Polícia dando trabalho p/ mim, quer me prender, embasamento legal ñ há, ñ retiro uma palavra do q disse, o show era meu!”. A apresentação era realizada no Festival Verão Sergipe 2012. No meio do show, Rita Lee afirmou ter visto policiais agredindo integrantes de seu fã clube, que viaja o Brasil atrás de suas apresentações.

 

Rita Lee reclamou da presença dos policiais e sugeriu a eles “fumar um baseadinho”. Logo em seguida, os militares se dirigiram ao palco e formaram uma parede humana na sua frente. Foi o estopim para a cantora, aos 67 anos de idade e quase meio século de carreira, reverberasse sua ira.

 

A cantora teria insultado os policiais, chamando-os de “cachorro” e usando, inclusive, palavras de baixo calão. Terminado o show, ela foi intimada a comparecer a uma delegacia. ”Alô twittlawyers, polícia abusiva e abusada, não sou obrigada a fazer o q me pedem: ir à delegacia agora, ou amanhã às 9”, registrou a cantora no Twitter.

 

Na delegacia, Rita Lee assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), e foi liberada. No Boletim de Ocorrência (B.O.) a tipificação do crime foi descrita como "desacato e apologia ao crime ou ao criminoso (art. 287 do Código Penal)". O documento foi assinado pela vereadora de Alagoas Heloisa Helena (PSOL), que presenciou o show e chegou na delegacia antes de Rita Lee, para testemunhar a seu favor. “1-Temos registros da vis%u0101o privilegiada do palco 2-Sôlta graças à vereadora Heloísa Helena q estava na platéia e prestou idêntica versão <3”, registrou Rita Lee no Twiiter.

 

O público do festival foi estimado pela Pm em mais de 20 mil pessoas. O governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT), repudiou a postura da cantora, afirmando que não houve ação da PM que justificasse sua reação. Já a classe artística foi solidária à musa do rock. O cantor Lobão foi um dos que se manifestaram, também por meio do Twitter. "Mas era soh o que faltava...prender a Ritinha eh de última!", disse o roqueiro.

 

Foi num show realizado no Circo Voador, no Rio de Janeiro, no último sábado, que Rita Lee anunciou o fim de suas apresentações ao vivo. Ela justificou a saída dos palcos, no Twitter, em sua condição física. "Aposento-me de shows, da música nunca. Quem me viu ontem pode bem atestar minha fragilidade física. Saio de cena absolutamente paixonadacocês".

 

Rita Lee começou sua carreira em 1963, aos 16 anos, quando se apresentava em festas colegias no trio Teenage Singers (cantoras adolescentes). Mas, foi a partir de 1966 que começou a se tornar um mito do rock brasileiro, ao fazer trio com Arnaldo Baptista e Sérgio Dias, no lendário grupo Os Mutantes. Em 1972 ela deixou o grupo, iniciando uma carreira solo repleta de grandes sucessos.

 

 

Daniel Silveira / Estado de Minas

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário