30/01/2016 - Permínio Pinto afirma que governo Taques está reformulando escola ciclada e resultados virão

30/01/2016 - Permínio Pinto afirma que governo Taques está reformulando escola ciclada e resultados virão

O sistema de ensino ciclado vai permanecer nas escolas públicas de Mato Grosso em 2016, mas será amplamente reformulado, por determinação do governador José Pedro Taques (PSDB). A garantia partiu do secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto Filho, ao explicar que já existe uma equipe multidisciplinar trabalhando, desde o ano passado.

A equipe conta com técnicos da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Universidade de Mato Grosso (Unemat), Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público (Sintep), Univesidade Feederal de Mato Grosso, União dos Dirigentes Municipais de Ensino (Undime), Conselho Estadual de Educação e União Mato-Grossense dos Estudantes (UMTE).
 
“Quem vai promover [na escola ciclada] as mudanças é o governador Pedro Taques. Existem técnicos que há 180 dias estão ouvindo escolas e promovem mudanças na direção do cliclo de formação humana”, disparou o titular da Seduc.
 
Perminio Pinto afirmou que respeita o relatório apresentado pelo líder do governo na Assembleia,  deputado Wilson Santos (PSDB), mas endureceu a postura contrária à retenção  do aluno, como ocorria no ensino em sistema de seriado.

“Sim, temos que ter o direito á aprendizagem. Não vejo dificuldade sobre isso, porque o aluno é avaliado sempre a cada três anos  e, em cerca de 10 anos, o estudante é avaliado e ganhamos o direito à sua aprendizagem”, ponderou o secretário de Educação, para a reportagem do Olhar direto., em entrevista no Hotel Paiaguás.
 
 Pedro Taques autorizou o secretário Permínio Pinto a buscar alternativas. Por isso, a Seduc contratou uma empresa vinculada à Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) para realizar a avaliação, prevista para acontecer no início do ano letivo do ano que vem. O sistema ciclado está  mantido após a decisão de aplicar uma avaliação com os alunos do 2º, 4º, 6º e 8º ano do Ensino Fundamental, e estudantes do 1º e 2º ano do Ensino Médio.
 
“Essa avaliação vai embasar um diagnóstico, que nos indicará exatamente o tamanho da defasagem de aprendizagem que nos temos nas escolas atualmente e nos norteará que tipo de intervenções teremos de adotar para melhorar o ensino”, justificou Permínio Pinto.
 
O diagnóstico com os alunos dos ensinos Fundamental e Médio sairá 30 dias após a aplicação. Ele será feito pelo Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd), da UFJF, que já realiza a mesma avaliação em outros 22 estados brasileiros.
  
Além de detectar as áreas mais deficitárias dos alunos, a avaliação, segundo o secretário adjunto de Educação, irá apontar as deficiências dos docentes. “Se o aluno não esta aprendendo é porque também tem alguém que não está ensinando. E esse professor não está ensinando, qual o motivo para isso? Falta de conteúdo ou de metodologia? Sendo detectado isso teremos uma política de desenvolvimento profissional, não somente para os docentes, como também para os profissionais da educação”,  completou Permínio Pinto.

 

 

 

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário