30/03/2016 - Falso médico aplica golpe e "rouba" dinheiro de famílias com parentes internados em UTI

30/03/2016 - Falso médico aplica golpe e "rouba" dinheiro de famílias com parentes internados em UTI

Uma modalidade de golpe já conhecida nos corredores dos hospitais particulares de Cuiabá voltou a ser aplicada nesta semana e já fez pelo menos sete vítimas entre ontem e hoje em apenas uma unidade de saúde na capital. O método usado é sempre o mesmo: uma pessoa liga para quem tem um parente internado e, com muita lábia, convence a vítima a fazer um depósito emergencial para custear exames urgentes. O que tem deixado as vítimas perplexas é o fato de o golpista, no momento da abordagem, ter em mãos informações precisas do paciente que está internado e dos responsáveis, o que dificulta a vítima entender que está sendo vítima de fraude.

 
Olhar Direto ouviu no começo da tarde desta terça-feira (29) três vítimas que foram abordadas ontem e já procuraram a polícia e registraram boletim de ocorrência sobre o caso. Os três preferiram não se identificar por receio, uma vez que os golpistas demonstraram possuir dados de todos os abordados. Eles contam que em todas as ligações, o golpista afirmou que era necessário fazer um exame para comprovar se o parente estava com leucemia. Em alguns casos o falso médico afirma que o plano de saúde não cobre o laudo, mas em outros diz que o exame é coberto, entretanto o plano demora a liberar o recurso, por isso é prudente o parente do internado fazer o deposito do dinheiro para depois ser reembolsado.
 
“Eu destaco a frieza do estelionatário, que de posse das informações do paciente na UTI se apresenta com linguagem técnica e que necessita falar com o responsável pelo paciente em função de um novo quadro clínico, leucemia, e que necessita urgente de fazer um exame com nova técnica”, afirma A.P., que está com a mãe de 88 internada há 20 dias em estado grave no Hospital São Matheus. Neste caso, os golpistas cobraram R$ 1500. A vítima quase pagou, mas resolveu checar no hospital e acabou se livrando da fraude.


Em situação muito pior ficou um rapaz de 26 anos identificado apenas como Divino. Ele conta que recebeu a ligação do falso médico na manhã de ontem, após chegar em Cuiabá de uma cansativa viagem. Exausto, estressado e fragilizado com a doença da esposa, de 24 anos, não pensou duas vezes quando foi informado da gravidade do quadro que lhe era apresentado. Depositou R$ 1,3 mil na hora em que foi contatado. Desconfiou quando minutos depois o golpista ligou novamente para cobrar mais dinheiro. Desta vez, a cobrança era de R$ 700 para procedimentos auxiliares ao que primeiro tinha sido “contratado”. Divino até tentou ir ao banco para desfazer a transação, mas foi informado que o dinheiro já havia sido sacado e a instituição não faz reembolso nessas situações. Teve certeza do golpe quando foi ao Hospital São Matheus e viu que o hospital não tinha o cobrado em nada.
 
Quem também caiu no golpe ontem foi uma mulher que se identificou apenas como Ana Paula. Ela está com a sogra internada, acometida por complicações no quadro de saúde que há 12 anos oscilam entre ocasionais melhoras e agravamentos. Abordada pelo falso médico, também depositou na hora a quantia de R$ 1700. Momentos depois, o golpista ligou para cobrar mais R$ 1250, momento em que a fraude ficou evidenciada. “Meu marido percebeu que era um golpe, só fui acreditar mesmo quando cheguei no São Matheus e vi que tinha ainda mais gente pra quem eles [falsários] pediram dinheiro. O que eu posso dizer é que essas pessoas só ontem deram muitos golpes”.
 
Hospital São Matheus  
 
As vítimas afirmaram que procuraram o Hospital São Matheus após a abordagem e a unidade informou que o golpe não é novo e já existe um informativo datado de 2013 (veja aqui) que alerta para os riscos deste tipo de fraude. Ao Olhar Direto, o hospital alegou que em caso de qualquer tipo de abordagem semelhante, o cliente deve consultar a direçãom uma vez que as informações sobre possíveis cobranças são passadas apenas pessoalmente.

“O hospital São Mateus esclarece que todas as questões referentes a pagamentos de serviços prestados são feitos pela administração do hospital e que qualquer contato feito via telefone solicitando transferências em dinheiro em nome do hospital a familiares de pessoas internadas não devem ser feitos. Qualquer dúvida antes de qualquer transferência, solicitamos que procure a administração do hospital”.
 
O golpista
 
Olhar Direto entrou em contato com o número usado pelos golpistas para abordar as vítimas. Após algumas tentativas, um rapaz atendeu se identificando como médico Eduardo, da “Clínica UTI”. Ele desligou o telefone ao ser questionado sobre as cobranças já denunciadas. O número ainda possui perfil no WhatsApp, com a foto de um homem vestido de médico. 

 

 

 

Da Redação - Lucas Bólico

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário