30/04/2015 - Mato Grosso deve vacinar cerca de 13 milhões de cabeças de gado contra aftosa em maio

Os pecuaristas mato-grossenses devem vacinar cerca de 13 milhões de cabeças de gado na etapa de maio da vacinação contra a febre aftosa. A imunização deverá ser realizada em animais com idade entre 0 e 24 meses. O setor pecuário em Mato Grosso cogita quem em 2020 o Estado seja considerado uma zona livre da aftosa sem vacinação.

Mato Grosso está há 18 anos livre da febre aftosa com vacinação. Segundo a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), paralelamente a vacinação contra a febre aftosa, os pecuaristas deverão realizar a imunização de fêmeas com idade entre três e oito meses contra a brucelose.

Mato Grosso encerrou 2014 com um rebanho de 28,487 milhões de cabeças.

“O importante é realizar o trabalho de maneira mais eficiente possível para garantir a continuidade do status de livre com vacinação, mantido há mais de 18 anos em Mato Grosso”, pontua o presidente da Acrimat, José João Bernardes.

Em novembro ocorre a segunda campanha de vacinação contra a febre aftosa. Na ocasião os pecuaristas deverão imunizar animais de mamando a caducando, ou seja, todas as idades.

Conforme a Acrimat, cogita-se a possibilidade de Mato Grosso a partir de 2020 passar a ser considerado um Estado livre da febre aftosa sem vacinação. “O pleito, de certo modo, exige uma melhor reflexão, mas não impossibilita a adoção do processo alternativo como excluir da vacinação animais com idade superior a 36 meses”, salienta Bernardes. Atualmente, apenas Santa Catarina detém o título de livre da doença sem vacinação e o Estado do Paraná já pleiteia a mesma condição.

Multa

Para aqueles que não vacinarem o rebanho no período estipulado a multa é de 2,25 UPF (Unidade Padrão de Financiamento), um valor de R$ 245 por cabeça não vacinada. Além disso, o pecuarista terá suspenso o movimento das fichas sanitárias dos inadimplentes junto aos escritórios do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT).

 

 

Olhar Direto

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário