30/04/2015 - Grupo Antissequestro da Polícia Civil apresenta suspeitos de sequestro de filho de fazendeiro em Goiás

30/04/2015 - Grupo Antissequestro da Polícia Civil apresenta suspeitos de sequestro de filho de fazendeiro em Goiás

Sete envolvidos – quatro da mesma família – no sequestro do jovem Paulo Antônio Batista foram presos na última segunda, dia 27 de abril, e apresentados no dia 28 pela Polícia Civil e pelos delegados Kleber Toledo e Thiago Damasceno Ribeiro, na Secretaria de Segurança Pública (SSP) de Goiás. Segundo os delegados, ainda existem três foragidos, inclusive o ‘chefe’ do grupo, Fábio Junio Ferreira da Silva. Na ocasião, apenas um dos presos falou, o pai de Fábio, que acusou o filho e disse que, além de não ter nada haver com o crime, conhecia muito bem Paulo Antônio e toda a sua família.

Durante a coletiva onde foram apresentados os sete presos envolvidos, o delegado Kleber disse que a família da vítima pediu que não fossem divulgados detalhes da operação, como valores de resgate e locais de arrebatamento (local onde o garoto foi sequestrado). “Foi uma investigação complexa, trabalhosa, e os policiais civis da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC) trabalharam intensamente durante os 32 dias, buscando sempre a preservação da vítima”, conta.

O delegado do Grupo Antissequestro (GAS/DEIC), Thiago Damasceno Ribeiro, informou, antes de tudo, que a criminalidade hoje aprende como agir com o que é divulgado na mídia. “Não vamos divulgar detalhes. Porém, já nos primeiros dias do sequestro tivemos indícios dos suspeitos, sendo indispensável agir com cautela, agindo no momento em que achamos viável”, explica.

Ainda segundo Thiago, quando retiraram Paulo Antônio do cativeiro, seis suspeitos já estavam presos e nenhum vigiando a vítima. “Agora, a ponte entre a família e os criminosos ainda está sendo investigada, pois aparentemente a intenção de sequestro era premeditada. A investigação segue, agora, para descobrir quem foi o principal intermediador que fez com que houvesse a ligação entre a fazenda e os criminosos”, completou o delegado.

Envolvidos
Ao todo dez pessoas estão envolvidas no caso. O ‘chefe’, Fabio Junio Ferreira da Silva (foragido), já tem envolvimento com outro sequestro. Desta vez, ele manteve contato com o menor envolvido (foragido) que fazia ligações para família. Os outros envolvidos são o irmão de Fábio, Fabrício Ferreira da Silva; o Pai, Sandoval Rodrigues da Silva; a mãe, Conceição Aparecida Ferreira; a namorada, Joseli da Silva Santos; Ellem Almeida Rodrigues, uma das pessoas que entrou em contato com a família da vítima; Wilson José de Souza, que dirigiu o carro que levou Paulo de sua casa; Valdivino Eterno Guimarães, que está com tornozeleira eletrônica por roubo e Keven Kácio Sousa França, conhecido como “Gigante” que também está foragido.

Sandoval, pai do Fábio, disse que não tinha conhecimento do ato do filho, que não tinha contato direto com ele, desde que o filho havia se envolvido com o último sequestro, mas que soube do sequestro por que o filho resolveu contar. “Eu ia denunciar pra polícia, mas aí no dia seguinte a polícia encontrou o menino e prendeu todo mundo, eu não tenho nada a ver com isso”, disse. O Pai de Fábio disse, ainda, que conhecia muito bem a família da vítima e que não imaginava que o filho havia sequestrado o Paulo Antônio.

Saúde
Segundo os delegados do caso, Paulo Antônio estava fisicamente bem, mas fraco e psicologicamente abalado, pois havia ficado amarrado durante todo sequestro. Agora, a família e o rapaz foram para a casa de um parente que reside em um condomínio fechado na grande Goiânia.

Esta foi uma estratégia orientada pela Polícia Civil (PC) durante as investigações, e que está sendo mantida em sigilo nestes primeiros dias após o cárcere do rapaz. O objetivo é dar mais privacidade à família.

Pai de Paulo é recebido pelo governador

Pai do jovem seqüestrado e dono da Fazenda Jaboticabal, Paulo Antônio da Silva, foi recebido, no dia 28, pelo governador Marconi Perillo, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, na capital. Na ocasião, Paulo estava ainda emocionado com o caso, agradeceu a ação da Polícia Civil e lembrou a felicidade de estar sentindo por ter o filho de volta.

O governador destacou o preparo da Polícia Civil do Estado e explicou que o grupo tem se mostrado muito eficiente na solução de crimes complexos. “Infelizmente a legislação não ajuda, e muitos criminosos presos acabam retornando às ruas e cometendo novos crimes. Pedi ao secretário Joaquim Mesquita uma honraria à altura da competência de todos os envolvidos na resolução deste caso”, disse Marconi Perillo.

“Confesso que passei noites em claro preocupado com o desfecho deste sequestro e hoje, aliviado, desejo que a família comemore o segundo dia de vida do Paulo que renasceu após este sequestro”, ressaltou o governador.

Relembre o caso
Paulo Antônio, 22, foi mantido amarrado a um bloco de concreto dentro do banheiro da casa onde estava escondido durante 32 dias. O crime ocorreu em Nova Fátima, distrito de Hidrolândia, a 33 quilômetros de Goiânia. O filho do fazendeiro, que é empresário da região, foi levado por quatro pessoas que o abordaram no momento em que a família tomava café da manhã, por volta das 6 horas.

A família, proprietária da Fazenda Jaboticabal, no município de Nova Fátima, chegou a pagar R$ 216 mil, mas os criminosos não libertaram a vítima e exigiram mais R$ 800 mil. Porém a polícia não confirmou esta informação.

 

 

Escrito por Jornal O Hoje