30/06/2014 - Fagundes diz que Jayme não trouxe “um prego para Várzea Grande” e diz ter apoio de Mauro Mendes e Percival Muniz

O pré-candidato ao Senado pelo PR, o deputado federal Wellington Fagundes, começou a seguir a tática do seu companheiro de chapa majoritária governista, o pré-candidato ao governo Lúdio Cabral (PT), e passou a polarizar a disputa contra Jayme Campos (DEM) com um discurso de comparação de trabalhos. Contudo, o republicano foi ainda mais longe e afirmou ter o apoio dos prefeitos Mauro Mendes (PSDB) e Percival Muniz (PPS), presidentes regionais de seus respectivos partidos e líderes do grupo que compõem a oposição. 

“Sou bom de trabalho. Tanto é que ontem o prefeito Percival Muniz me ligou e disse que não tinha como não me apoiar porque eu ajudei demais Rondonópolis. E eu estou aqui com uma mensagem no celular do prefeito Mauro Mendes dizendo: ‘pode contar comigo. Vou apoiar você, que ajudou Cuiabá’”, disse Fagundes, durante seu discurso no ato de apoio a Lúdio Cabral, na manhã deste domingo (29).

Para Fagundes, essas supostas demonstrações de apoio seriam prova de que ele trabalha melhor que seu adversário direto na disputa pela vaga no Senado. “Eu quero comprar nosso trabalho. Nesse tempo todo que ele foi senador ele não trouxe um prego para Várzea Grande, que é sua cidade. Eu nunca esqueci Rondonópolis. Sempre trabalhei por todo estado, mas nunca esqueci minha cidade. Isso já mostra um pouco da nossa diferença”, afirmou.

O republicano chegou a ironizar e dizer nem precisar comparar todos seus 24 anos de mandatos, mas somente dos últimos oito, para ser justo com o fato de Jayme estar a esse tempo como senador. Entretanto, quando rememorou feitos da sua carreira, Wellington citou emendas destinas a Juína, verbas para a conclusão das obras da Usina do Manso e o programa de pontes com tecnologia italiana, todas ações de mais de oito anos atrás.

 

 

 Jardel P. Arruda

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário