30/06/2014 - Por reviravolta e apoio a Riva, escolhidos do PP ameaçam não registrar candidaturas

O Partido Progressista fechou sua aliança com o PDT em apoio a candidatura do senador Pedro Taques ao Governo do Estado. Entregou ao candidato uma relação com suas propostas para a construção do Plano de Governo e a oficialização do nome do produtor rural Carlos Fávaro como indicação de candidato a vice na chapa. Tudo aprovado em convenção, mas há fortes resistências. Uma grande ala da sigla queria o apoio do partido ao pré-candidato José Riva, do PSD. A resistência promete ir além.

 

Segundo fontes do partido, o grupo estaria propenso a não registrar suas respectivas candidaturas. A questão atingiria diretamente o próprio presidente do Diretório Regional, o deputado estadual Ezequiel Fonseca, candidato a deputado federal, que acabaria enfraquecido dentro da aliança. O PP planejava formar um chapão para federal, uma frentinha e duas chapas proporcionais.

 

A idéia do grupo de resistência, a rigor, é o de apoiar mesmo José Riva ao Governo do Estado, especialmente pela proximidade política. Riva é egresso do PP e tem forte influência dentro da sigla. Como pré-candidato ao Governo, Riva trabalha para atrair os progressistas e outras siglas, como o PTB, para garantir, principalmente, mais tempo de televisão e encarar a disputa de forma mais equilibrada contra Taques e o próprio candidato da base governista, Ludio Cabral, do PT.

 

“Além de Ezequiel, o grupo do agronegócio somente apoia a aliança com o PDT” – disse uma fonte envolvida nas negociações, ao destacar os interesses angariados de Erai Maggi e do próprio Favaro.

 

A articulação de Riva para tirar o PP da aliança com o PDT de Taques, contaria ainda com o chamado ‘fogo amigo’ do PSB, que conseguiu até aqui apenas uma suplência do senador Jayme Campos, do Democratas, na chapa.   A saída do PP em apoio a Riva daria a deputada Luciane Bezerra a condição de ser candidata a vice de Taques. Luciane queixou-se publicamente da parte reservada ao seu partido na aliança.

 

Principal entusiasta do acordo, o empresário rural Carlos Favaro, que presidia a Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja) não acredita em reviravolta. "Estou assumindo um importante compromisso, vou honrar com orgulho essa responsabilidade em respeito à sociedade mato-grossense. Serei um soldado nessa luta", disse Fávaro. Segundo ele, o PP está trabalhando um conjunto de propostas para o Estado ganhar destaque no cenário brasileiro, não só como grande produtor de grãos, mas compartilhando as oportunidades com todas as pessoas, em todas as cidades.

 

Fonseca também não vê possibilidade de mudanças. A aliança com o PDT garantiu a sigla conquistar um grande espaço politico. "Passamos por diversos momentos de decisões, nós trabalhamos por um mato Grosso Moderno e Justo buscando sempre o crescimento e o desenvolvimento do Estado, em especial, no social" – frisou. "Nesse grupo estão pessoas que querem trabalhar com seriedade, força e otimismo. Sabemos que é um grupo vencedor e de sucesso, pois já tem demonstrado isso ao longo do tempo. Dá pra fazer deste Estado muitas coisas boas” .

 

 

Redação 24 Horas News

 

Comentários

Data: 30/06/2014

De: jose rezende

Assunto: espanta voto

PARA QUEM AINDA ACHA O RIVA UM CARA BOM....OLHA SÓ A FIGURA QUE APOIO ELE NA REGIÃO: KALIXTO GUIMARÃES !
AI ESPANTA VOTO MENINO !!!!!!!!!

Data: 30/06/2014

De: KALIXTO GUIMARAES

Assunto: Office Boy

Fávaro não tem personalidade política é apenas um office-boy do ex-governador Maggi, que tem o rabo preso no MP de Pedro Taques a respeito do escandaloso golpe dos maquinários. A candidatura de RIVA é deixa de ser a terceira via e passa a ser a primeira opção para Mato Grosso continuar rumo ao seu desenvolvimento.

Novo comentário