30/06/2015 - Clássico carioca em MT dá lucro de R$ 760 mil; Estado apura destino de R$ 40 mil - veja balancete completo

 

O boletim financeiro da partida entre Vasco e Flamengo, disputado neste domingo (28), na Arena Pantanal, em Cuiabá, divulgado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na tarde desta segunda (29), aponta um valor de R$ 40 mil que teria sido destinado ao pagamento do aluguel do estádio.

criancas_jogo.jpg

O curioso é que não fica claro quem teria sido beneficiado com o montante, uma vez que não estaria previsto valores relativos ao aluguel da Arena e o uso deveria ocorrer de forma gratuita, segundo a secretaria estadual das Cidades (Secid).

 

A assessoria da pasta ainda informa que o secretário Eduardo Chiletto desconhece o destino deste valor. Explica que há um termo de concessão assinado com a Federação Mato-Grossense de Futebol (FMF), que prevê o uso mensal do estádio em troca da manutenção do gramado.

 

Diante do cenário, uma reunião entre o secretário e o atual presidente da FMF, João Carlos de Oliveira, marcada para esta terça (30) deve debater esta questão, entre outros assuntos.

 

Conforme João Carlos, por conta da recém chegada à presidência, precisa tomar conhecimento das negociações, para então comentar a situação. “Não sei informar direito. Sentei sexta na cadeira da presidência. Amanhã terei reunião com o Chiletto”, diz em entrevista ao Rdnews. Na ocasião, ressalta que deve tentar reduzir os preços dos ingressos, bem como os praticados na praça de alimentação da Arena.

 

Termo de autorização

A Secid divulgou na última quinta (25), por meio do Diário Oficial, um termo de autorização concedendo à FMF o uso da Arena para duas disputas, entre o último sábado (27) e o próximo domingo (5), referentes ao Campeonato Brasileiro Série A, Edição 2015. O termo definiu como obrigação à Federação o custeio de qualquer despesa relativa à manutenção e à conservação do estádio.

 

Boletim financeiro

A venda de ingressos para o clássico entre Vasco e Flamengo gerou uma receita bruta de R$ 1,1 milhão. O valor foi obtido através da venda de ingressos, cujo preço variou de R$ 50 a R$ 200. Ao todo, foram disponibilizados 16.602 mil ingressos, dos quais 2.592 mil destinados para não pagantes, conforme determinação da lei.

 

Os valores estão disponíveis no site da CBF. O documento foi elaborado com base na prestação de contas apresentada pelo clube mandante, Vasco. Dentre as despesas, cerca de R$ 115 mil foram destinados à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), o equivalente a 10% da receita bruta total. Já a FMF arrecadou pouco mais de R$ 40 mil, somando taxa, despesas operacionais e impostos.

 

Também foram gastos quase R$ 17 mil com segurança privada e pouco mais de R$ 16 mil com a limpeza da Arena. No total, são 34 itens que geraram uma despesa de R$ 393,1 mil. O item com menor valor, acima de zero, foi o seguro dos árbitros, fixado em R$ 16,76.  Subtraindo as despesas da receita total, restaram R$ 761,7 mil, distribuídos unicamente para o Clube de Regatas Vasco da Gama, conforme indica o boletim.

print_arena_ok.jpg

Eduarda Fernandes

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário