30/06/2015 - Grupo compra hotel abandonado em Cuiabá por R$ 2 mi em leilão

O lote 8 foi o grande destaque da segunda praça do leilão de bens móveis e imóveis realizada pelo Fórum da Capital na última sexta-feira. Dos 18 lotes leiloados na hasta pública, este foi o de maior valor alcançado. Em um único lance, um grupo de investimentos arrematou o antigo Hotel Alvorada, localizado na Rua General Miranda Reis, em Cuiabá, por R$ 2.051.832,05 milhões.

 

Ao todo, foram ofertados 52 lotes com até 60% de desconto do valor de avaliação. Dentre os bens disponibilizados, havia motocicletas, bicicletas, caminhões com câmera fria, guindaste, poltronas, sofás, aparelhos de ar-condicionado, impressora, detector de metal e máquinas usadas em frigoríficos e imóveis urbanos, rurais, residenciais e comerciais, localizados nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, Nossa Senhora do Livramento e Santo Antônio do Leverger.

 

De acordo com o juiz diretor do Fórum da Capital, Aristeu Dias Batista Vilela, a repercussão da segunda praça foi bastante positiva. “A procura pelos lotes foi grande e grande parte dos lotes foi arrematada. Acredito que tenha sido a maior arrecadação que já tivemos aqui na comarca”, afirmou Aristeu.

 

O juiz destacou ainda que vez ou outra ocorrem situações inusitadas nos leilões. “Desta vez houve dois casos interessantes. O primeiro trata-se de um arrematante que comprou um detector de metais para procurar ouro. Também teve o caso de um senhor que levou um lote de 39 bicicletas para usar como doação”, acrescentou o magistrado.

 

Aristeu adiantou também que já está em fase de análise pela Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso a realização de leilões não presenciais. “Estamos aguardando a conclusão dos estudos da Corregedoria para implantar essa nova modalidade de leilão, feita de forma totalmente virtual. Dessa maneira, mais pessoas vão ter acesso a esses bens e poderemos expandir a oferta dos nossos lotes para todo o território nacional”, concluiu Aristeu.

 

Durante a realização da primeira praça foram aceitos lances a partir do valor da avaliação judicial. Já nesta segunda ocasião, os valores foram ainda mais atrativos, pois puderam ser arrematados por menos da metade do valor de mercado. Com exceção dos veículos alienados, para os quais os lances iniciais tiveram que ser de no mínimo 80% do valor original, e os carros pertencentes a órgãos públicos, que não podem ser arrematados por valor inferior ao de avaliação.

 

É importante destacar que todo valor arrecadado com os leilões é entregue às partes.

 

 

Da Redação

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário