30/06/2016 - Servidores do Detran são presos por fraudes e falsificação de documentos

30/06/2016 - Servidores do Detran são presos por fraudes e falsificação de documentos

A Polícia Judiciária Civil cumpriu nesta terça-feira (28.06) mandados de busca e apreensão em Várzea Grande, em investigação e repressão a fraudes no Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran). As ações tiveram início na última sexta-feira, 24 de junho, para apurar a inserção de dados falsos no sistema Detrannet e fraudes em documentos veiculares.

 

A primeira prisão em flagrante ocorreu na sexta-feira, em Nova Mutum, contra T.F.C., de 34 anos, servidor efetivo do Detran, acusado pelos crimes de inserção de dados falsos em sistema informatizado, adulteração de documento público (falsidade ideológica) e corrupção passiva, conforme previsão no Código Penal.

Nesta segunda-feira (27) foi preso, também em flagrante, o servidor comissionado C.K.G., de 54 anos, que exercia o cargo de chefe da Ciretran de Lucas do Rio Verde. Ele é acusado da inserção de dados falsos em sistema informatizado e adulteração de documento público (falsidade ideológica).

Segundo as investigações, desde o início da greve dos servidores da autarquia, C.K.G. teria lançado 48 vistorias de veículos no sistema Detrannet. Porém, essas vistorias não eram realizadas na Ciretran, por servidores da autarquia, mas por funcionários de empresas fabricantes de placas veiculares. O procedimento era condicionado à aquisição de placas veiculares pelos proprietários nos estabelecimentos envolvidos no esquema.

Conforme apurado pela Polícia Civil e por unidades de investigação do Detran, durante o período de greve os servidores foram aliciados por proprietários de empresas despachantes e de fábricas de placas veiculares para a prática dos crimes, mediante o recebimento de vantagens indevidas.

Esquema

O servidor T.F.C. confessou que vinha realizando as fraudes para a empresa ‘Despachante Aeroporto’, sediada em Várzea Grande, e que recebia valores entre R$ 500,00 e R$ 700,00 pela emissão ilegal de Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV). O documento é obrigatório para condução de veículos automotores.

Os certificados eram emitidos sem que o servidor estivesse de posse da documentação e dos processos administrativos necessários para auditagem, pois recebia por meio de aplicativo de celular os caracteres das placas dos automóveis envolvidos na fraude.

Após a emissão fraudulenta do CRLV, o servidor do Detran remetia os documentos de Nova Mutum à Várzea Grande, por meio de uma “van” de transporte, onde eram retirados pelo proprietário da empresa Despachante Aeroporto.

Durante as buscas e apreensão realizada nesta terça-feira na sede da empresa Despachante Aeroporto foram encontrados dezenas de documentos de veículos com indícios de adulteração e ainda lacres veiculares. O proprietário da empresa, G.R.G., 33 anos, será atuado em flagrante pelo delito de receptação. O empresário também será investigado pelo crime de corrupção ativa.

As equipes de investigação registraram em imagens a atuação dos servidores e dos demais envolvidos no esquema. As imagens serão juntadas aos inquéritos policiais instaurados.

Investigações

O presidente do Detran, Arnon Osny, afirmou que servidores alegavam estar em greve e aproveitaram para fazer as fraudes.  “Infelizmente tomamos conhecimento que alguns servidores do órgão, que alegavam estar em greve, aproveitaram da situação para o cometimento de crimes. A operação policial deflagrada no último dia 24 continuará, pois há suspeitas que em outras unidades paralisadas pela greve também estejam ocorrendo as mesmas fraudes”, comentou.

O delegado titular da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derrfva), Vitor Hugo Teixeira, falou sobre a possibilidade que as fraudes tenham ocorrido com a finalidade de esquentare dar aparência de legalidade a veículos furtados ou roubados ou ainda, de automóveis denominados “clones” ou “dublês”.

Outros dois servidores do Detran, I.O.S. , 35 anos, e J.D.B.V., 53, também foram conduzidos para a Derrfva por suspeitas de envolvidos nas fraudes investigadas e participação na comercialização ilegal de lacres veiculares ao Despachante Aeroporto.

A ação foi realizada em parceria com a Derrfva e as Delegacias de Polícia de Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, Coordenadoria de Fiscalização de Credenciados e Corregedoria do Detran. A operação foi coordenada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e contou com o apoio dos setores de inteligência dos órgãos.  

 

 

Assessoria Detran e PJC-MT 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário