30/10/2014 - Escola quer montar viveiro para ajudar comunidade de Ribeirão Cascalheira a recuperar áreas degradadas

 No mês de Setembro, através do ISA, alunos de uma escola municipal de Ribeirão Cascalheira, no Mato Grosso, conheceram o funcionamento do Viveiro Municipal de Canarana, o mais bem estruturado da Região, que produz mudas de árvores nativas usadas em recuperação de áreas degradadas. A direção quer implantar um viveiro na escola em Ribeirão Cascalheira. 

 

CANARANA/MT – A Rede de Sementes do Xingu surgiu dentro da Campanha Y Ikatu Xingu (criada em 2004 para atuar na recuperação e proteção das nascentes e cabeceiras do rio Xingu) e hoje agrega uma grande cadeia de coleta, armazenamento e comercialização de sementes florestais, que são usadas na recuperação de áreas degradas principalmente na região Xingu/Araguaia.

 

Um dos únicos viveiros municipais da Região, onde também funciona uma Casa de Sementes mantida pelo ISA (Instituto Socioambiental), o Viveiro de Canarana/MT, mantido pela Prefeitura Municipal, é referência na produção de mudas florestais a partir das sementes coletadas em festivais realizados no Município e em testes de germinação das sementes armazenadas na Casa.

 

Junior Micolino da Veiga é técnico em restauração do ISA há cinco anos. “Não conheço nenhum município que tenha um viveiro estruturado como o de Canarana para que os produtores que possuem passivos ambientais iniciem o trabalho de recuperação. Desde o início da implantação do Viveiro houve uma redução significativa do passivo do município de Canarana”, relatou Junior.

 

CONHECER O FUNCIONAMENTO DO VIVEIRO

 

Para conhecer como funciona um viveiro, alunos e professores da Escola Municipal Dona Antonieta Melges Camargo de Ribeirão Cascalheira/MT, localizada a 130 km de Canarana, visitaram o Viveiro de Canarana no mês de Setembro. Conforme a diretora Carlice Pinto Moraes, a escola quer a partir dessa visita coletar sementes e construir um viveiro na própria unidade escolar.

 

O técnico Junior Micolino e a Gabriela Almeida, bióloga da Secretaria Municipal de Agricultura, demonstraram aos alunos e professores como é o funcionamento de um viveiro e os processos que tem que ser realizado para a produção de mudas. Também sugeriram com quais tipos de estudos e matérias os professores podem trabalhar com os alunos: como acompanhar a germinação e o desenvolvimento das sementes.

 

Esta visita surgiu a partir de uma ideia do ISA em organizar um intercâmbio entre as escolas da Região para trocarem informações sobre as experiências socioambientais de cada um. Além do Viveiro, os alunos visitaram também a Escola de Educação Básica Nova Era e a Casa da Criança. 

 

Na Escola Municipal Nova Era aconteceu um momento de troca de experiências: os alunos e professores de Canarana falaram sobre a experiência que estão tendo com a implantação de uma área de agrofloresta no pátio da escola, iniciado em 2008; enquanto professores da escola de Ribeirão Cascalheira falaram sobre os projetos que têm desenvolvido dentro do programa Mais Educação.

 

Para finalizar as visitas, os alunos e professores da escola de Cascalheira conheceram uma área de agrofloresta que o ISA implantou na Casa da Criança junto aos participantes do curso de Agentes Socioambientais iniciado em 2006. Quando chegaram ao local, uma aluna da escola Dona Antonieta ficou impressionada com o tamanho da agrofloresta: "Nossa, mas aqui parece uma floresta! Foram eles que plantaram tudo?".

 

PRODUÇÃO DO VIVEIRO DE CANARANA

Inaugurado em 2008, o Viveiro Municipal tem capacidade de produzir até 70 mil mudas de árvores por ano. Somente em Canarana mais de duas centenas de hectares degradados voltaram a ser floresta através das mudas e sementes doadas pelo Viveiro.

 

Além de mudas, também há uma horta, onde são produzidos couve, temperos verdes, chás e pimentas, mas também tem jiló, rúcula, agrião, espinafre, vagem, tomate, mandioca, maxixe, quiabo, entre outras verduras, tudo cuidado com muito carinho pela Dona Nair, funcionária zelosa do Viveiro. A produção é consumida nas escolas municipais. Dona Nair também produz mudas de algumas espécies ornamentais por conta própria.

 

“Achamos de suma importância a horta escolar e o viveiro municipal. Uma iniciativa inteligente”, disse a diretora da Escola Dona Antonieta.

 

INICIATIVAS SÓCIOAMBIENTAIS NA DONA ANTONIETA

 

Através do Programa Mais Educação do Governo Federal, a Escola Dona Antonieta realiza oficinas de dança, acompanhamento pedagógico, pinturas, produção de textos e ações ambientais.

 

Entre as ações ambientais, a Escola possui duas áreas com reflorestamento e, além de coletar sementes e construir um viveiro, a direção quer também fazer artesanatos com frutos do cerrado.

 

As ações ambientais, como a visita ao viveiro em Canarana, têm mudado o comportamento dos alunos da Dona Antonieta, disse a diretora: “Percebo que pelo menos [os alunos] estão buscando cuidar melhor das plantas existentes na escola e estão se envolvendo muito no assunto”, disse, acrescentando que a escola almeja também que os alunos multipliquem as ideias no seu meio familiar.

 

As mudas produzidas pelo viveiro a ser construído na Escola, serão doadas para a comunidade de Ribeirão Cascalheira para a recuperação de áreas degradadas.

 

O que ainda falta para construir o viveiro são recursos: “Estou à procura de patrocinadores e parceiros para que o projeto possa dar continuidade e ganhar maiores dimensões”, finalizou Clarice.

 

 

Escrito por Rafael Govari - Assessoria ISA

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário