30/11/2015 - “Se Brustolin tiver dúvidas, que acione a AL”, diz Maluf sobre LRF

“Por esse motivo eu não vou nem sentar, porque da minha parte considero nossos números certos e inquestionáveis. Se o secretário Brustolin tiver alguma dúvida, ele que acione a Assembleia e faça a conduta que julgar necessário”.

 

A declaração é do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Guilherme Maluf (PSDB), que voltou a negar os números apresentados pela Secretaria de Estado de Fazenda, segundo os quais o Legislativo "estourou" em R$ 62 milhões o limite de gastos com pessoal, nos oito primeiros meses deste ano.

Conforme dados apresentados pela Sefaz, durante audiência pública, as despesas com pessoal no Legislativo chegaram ao montante de R$ 254 milhões, enquanto o limite pré-estabelecido na Lei de Responsabilidade Fiscal é de R$ 192,1 milhões.

 

Já a Assembleia rebateu os números e afirmou que o demonstrativo de despesa com pessoal do Legislativo, até o mês de agosto, apresenta uma despesa líquida com pessoal de R$ 169 milhões, o que não chegaria, segundo ele, nem no percentual de alerta.

 

A possível reunião entre Maluf e o secretário de Fazenda Paulo Brustolin e sua equipe para “esclarecer as diferenças” foi anunciada pelo líder do Governo na Assembleia, deputado Wilson Santos (PSDB).

 

“Da minha parte, me dou por satisfeito com os números que tenho, com a análise que a Procuradoria do Poder Legislativo tem, que minha área de RH me dá. Então, me dou por satisfeito com meus números e quem duvidar que questione isso de alguma forma”, disse.

 

Proposital

 

Maluf disse não acreditar que Brustolin tenha cometido um “erro proposital”, de modo a desmoralizar as críticas do Legislativo ao estouro da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) do Governo.

 

No entanto, o presidente da Assembleia afirmou que o secretário deveria ter conversado com a Casa antes de apresentar os números em audiência pública.

 

“Não sei dizer, mas não acredito nisso. O Paulo é uma pessoa de bom senso. Acho que houve um equívoco e que não foi o momento que ele deveria ter colocado. Se ele acredita naqueles números, deveria ter feito um debate conosco, antes de levar isso a público. Isso não aconteceu, mas não acredito que tenha sido proposital”, afirmou.

 

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário