31/01/2013 - Militar que matou colega que fingiu assalto ganha liberdade provisória

Foi concedida liberdade provisória ao policial militar Elizeu Teixeira Cintra, que atirou e matou o companheiro de farda Young Caio Rodrigues, no dia 17 de janeiro, após uma brincadeira de assalto. O PM estava detido no quartel da Polícia Militar e foi liberado na sexta-feira passada.

A decisão de conceder a liberdade partiu do juiz Marcos Faleiros, da 11ª Vara da Justiça Militar em Cuiabá, sustentada pela apelação da defesa do acusado, que alegou ter agido em legítima defesa. ”O juiz entendeu que o acusado teve falsa impressão de um ataque e agiu em sua defesa e da família que se encontrava na casa no dia da tragédia”, explicou o comandante do 5º BPM, Major Sandro Barbosa.

Agora o inquérito policial militar tem o prazo de 40 dias para ser concluído e após isso remetido ao Ministério Publico que decidirá se irá denunciar ou não o acusado à justiça. Acontecendo isso, a justiça terá 80 dias para julgar o caso como homicídio doloso, culposo ou arquivar.

Caso 

O policial militar Elizeu Teixeria Cintra disparou três vezes contra o colega de farda e amigo Young Caio Rodrigues após uma brincadeira de assalto.

A versão do policial que atirou da conta de que a vítima teria chegado de capacete até sua residência no momento em que ele saía de carro da garagem e anunciado “perdeu, perdeu”. Imaginando ser uma emboscada, Elizeu atirou contra o companheiro.

O PM Young Caio chegou a ser socorrido com vida, porém não resistiu aos ferimentos e faleceu. Após o acontecido, o PM Elizeu se apresentou ao quartel da cidade onde estava detido até semana passada. 

 

De Rondonópolis - Giselle Saldanha

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário