31/03/2015 - Deputados do PR e selam postura de "independência e liberdade" ao governo em reunião com Fagundes

A bancada estadual do Partido da República se reuniu com o presidente regional da sigla, senador Wellington Fagundes, no final da tarde desta segunda-feira (30), e alinhou pensamentos no sentido de se manter fora da base de apoio ao governador Pedro Taques (PDT). Contudo, os republicanos terão liberdade para votarem junto com os governistas sempre que acharem necessário.

Uma segunda reunião deve ser convocada para depois do feriado da Páscoa, com a presença do senador Blairo Maggi (PR) e membros da Executiva Estadual do PR para definição de uma posição oficial e definitiva do partido. Enquanto isso, os parlamentares continuam tendo a possibilidade de apoiar o Governo de forma individual.

“Existe a liberdade do parlamentar de votar conforme a consciência. Não há necessidade de tomar uma decisão de estar fora da base, até porque o PR não participa deste Governo e não fomos eleitos no mesmo palanque. Mas cada pode aprovar as matérias que acham corretas de forma individual”, afirmou o presidente da sigla.

Pessoalmente, Welington Fagundes afirma ser oposição. Eleito senador no palanque adversário de Taques, ele salienta que o PR nunca foi convidado oficialmente pelo Governo a discutir sobre ser parte da base, e também cita a importância em não existir uma unanimidade pró-Pedro Taques dentro da Assembleia Legislativa.

A postura de independência adotada por Fagundes é seguida declaradamente pelos deputados Mauro Savi e Emanuel Pinheiro. Sem apoio do Governo, ambos acabaram preteridos na disputa por uma vaga na Mesa Diretora e desde então tem adotado uma postura de distanciamento “polido”.

“Fomos eleitos em outra coligação. Não seremos oposição ao Estado, mas seremos independentes. Temos de ter a serenidade para a independência. Toda unanimidade é burra”, argumentou Emanuel Pinheiro. “Fizemos um bloco para compor as comissões e isso foi bom para o partido, mas não fomos eleitos no mesmo palanque. Claro que temos que respeitar os compromissos dos outros deputados, mas a decisão do partido é interna corporis”, disse Mauro Savi.

Oposição, mas nem tanto

Diferente dos outros colegas, Wagner Ramos defendeu na tribuna da Assembleia Legislativa que o PR optasse por fazer parte da base governista. Contudo, após a reunião ele mudou o tom e também defendeu a independência como linha partidária, mas manteve a postura de andar lado-a-lado com o Governo.

“Sou de uma região muito carente, que precisa muito do governo. Preciso dele para minha base. Eu tenho minha consciência. Por isso, sempre que eu achar positivo, vou votar com o Governo sim. Em outros casos, votarei com o partido”, pontuou Ramos, representante da Região de Tangará da Serra.

Ondanir Bortolini, o Nininho, e Sebastião Rezende não falaram com a imprensa após a reunião.

 

 

Da Redação - Jardel P. Arruda

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário