31/05/2013 - Desembargadora Maria Helena recebe manifestações de apoio após assumir vício do filho

A desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Maria Helena Póvoas, recebeu dezenas de manifestações de apoio, após ter assumido publicamente que o seu filho, o servidor público Diogo Póvoas Almeida, 29, é dependente químico. O rapaz foi preso na madrugada de quarta-feira (29), no bairro Jardim Leblon, quando tentava comprar uma pequena porção de basta-base de cocaína.

Servidor público, filho de desembargadora é preso enquanto comprava droga em Cuiabá

A desembargadora divulgou uma nota em que admite que o filho é dependente químico, a exemplo de milhares de jovens no país. A atitude da desembargadora foi confortada por amigos, familiares e personalidades do meio jurídico.

Na rede social Facebook Maria Helena recebeu mensagens de apoio. O juiz eleitoral de Cuiabá, José Luis Blaszak, disse que é momento de "cambiar sentimentos", tanto de alegria quanto de dor.

“Louvável que a família está encarando de frente e publicamente o seu problema, e, esse é um elementos essencial para a ajuda do próprio Diego. Todos os amigos que também possuem membros em suas famílias com dependência química não podem carregar sozinhos este fardo. Precisam compartilhar, e, nós devemos estender nossas mãos. O amanhã nos é desconhecido. Por isso, ninguém tem autoridade para acusações. Temos que nos unir e nos dispor à ajuda. Como? De qualquer forma. O importante é se dispor”, relevou em uma postagem de três parágrafos.

O advogado Eduardo Mahon também foi solidário. “Gostaria de me solidarizar com a família que é atormentada com esse mal que contamina a nossa sociedade. Para que nós saibamos que não há distinções entre classes, cores, idades, enfim, no consumo de entorpecentes”, comentou o advogado.

A jornalista e historiadora Neila Barreto compartilhou um vídeo com uma oração católica na página de Maria Helena Póvoas. A presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/MT, a advogada Betsey Polistchuck de Miranda, deixou a seguinte mensagem: “Não posso impedir sua dor, mas possa abraça-la até a dor passar”.

Leia a nota divulgada pela desembargadora Maria Helena Póvoas

"Lamentavelmente, como milhares de jovens nesse País afora, meu filho é dependente químico. Ele foi preso com pouco mais de 1 grama de cocaína, o que denota, lamentavelmente, sua condição, conforme já concluído pela Organização Mundial de Saúde, de portador de uma doença grave e que tem atormentado milhares de lares. Ou seja, ele é dependente químico, não mercador do infortúnio alheio", afirmou a magistrada.

 

Da Redação - Katiana Pereira

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário