01/06/2015 - Em Assembleia Extraordinária categoria delibera pelo indicativo de greve no dia 02/06/2015

A sexta feira, 29 de maio, foi marcada pelo encerramento do I CONGRESSO DO TRABALHADOR DO SUS ESTADUAL e logo em seguida pela reflexão e análise coletiva em Assembleia Geral Extraordinária da categoria acerca da ratificação do INDICATIVO DE GREVE para o próximo dia 02 de junho (terça-feira) que já tinha sido deliberado em Assembleia anterior (21/05).

 

Em Assembleia os trabalhadores da saúde debateram intensamente as 17 reivindicações da categoria que vem sendo cobradas do Governador Pedro Taques desde a fase de transição com o governo Silval Barbosa e desde sua posse no dia 02/01/2015, onde garantiu em visita a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (05/01/2015) que a saúde pública seria tratada como prioridade de governo.

Os trabalhadores do SUS Estadual não aguentam mais sofrer com o sofrimento dos Usuários do SUS, que vão até as unidades de saúde buscar atendimento e não conseguem porque as unidades do Estado estão totalmente sucateadas e sem condições de entregar serviços dignos e de qualidade ao cidadão mato-grossense.

A saúde e segurança do trabalhador do SUS também foram amplamente discutidas durante os dias do Congresso (26 a 29/05) realizado no Hotel Fazenda Mato Grosso e que contou com mais de 600 trabalhadores das 16 regiões de saúde que trouxeram inúmeras denúncias e materiais fotográficos do caos instalado inclusive na OSS que gerenciam os hospitais regionais do estado localizados no interior.

 

REIVINDICAÇÕES DA CATEGORIA DA SAÚDE:

1) Retirada das Organizações Sociais de Saúde (OSS) da Gestão das Unidades da SES/MT;

2) Realização de Concurso Público;

3) Melhorias nas condições estruturais nas unidades e escritórios (parte elétrica, hidráulica, telefônica, reforma nos banheiros, adaptação para portadores de necessidades especiais, dentre outras necessárias ao funcionamento do SUS, tanto para usuários quanto aos servidores);

4) Renovação do mobiliário adaptados aos serviços;

5) Revisão da Lei Complementar nº 441/2011;

6) Cumprimento da NR 32, norma que tem por finalidade estabelecer diretrizes de Segurança e Saúde do trabalhador em Serviços de Saúde;

7) Melhorias do Serviço de Transporte da SES para deslocamento de Servidores e insumos de saúde;

8) Regularidade no pagamento dos contratos firmados pela SES/MT, para que não haja interrupção dos serviços, a exemplo do que acontece corriqueiramente com a limpeza e segurança patrimonial. Apesar de a categoria ser contrária à terceirização, uma vez contratada a empresa a mesma deve receber pelos serviços prestados;

9) Aquisição de insumos e medicamentos;

10) Contratação de empresa para efetuar a manutenção dos equipamentos conforme demanda;

11) Cumprimento do percentual Constitucional, EC 29, a qual prevê um gasto de 12% (doze por cento) da arrecadação do Estado com saúde, sem incluir na base de cálculo os valores gastos com a judicialização;

12) Liberação do uso da internet e outros canais de informação aos servidores ligados à SES/MT;

13) Reajuste dos valores das diárias pagas aos servidores;

14) Pagamento da diferença dos plantões de maio a outubro de 2011;

15) Publicação e pagamento dos valores devidos aos trabalhadores com enquadramentos pendentes – Limbo (direito adquirido); 

16) Pagamento do reajuste de 7,5% (sete e meio por cento) na data base da categoria, ou seja, maio de 2015. Reajuste este, previsto na Lei 10.079/2014 para Outubro de 2015;

17) Intervenção junto à Auditoria Geral do Estado determinando a suspensão imediata dos prazos fixados pelas notificações aos trabalhadores com duplo vínculo na Saúde Pública do Estado.

Dos 17 pontos acima apenas 1 item reivindicado pela categoria foi cumprido em sua integralidade, em virtude do CAOS  e falta de perspectivas que demonstrem prazos no cumprimento das reivindicações que visam o BEM ESTAR DO USUÁRIOS DO SUScom melhores condições de trabalho, a CATEGORIA DELIBEROU PELO INDICATIVO DE GREVE PARA O DIA 02/06/2015.

Em Assembleia os trabalhadores da saúde debateram intensamente as 17 reivindicações da categoria que vem sendo cobradas do Governador Pedro Taques desde a fase de transição com o governo Silval Barbosa e desde sua posse no dia 02/01/2015, onde garantiu em visita a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (05/01/2015) que a saúde pública seria tratada como prioridade de governo.

Os trabalhadores do SUS Estadual não aguentam mais sofrer com o sofrimento dos Usuários do SUS, que vão até as unidades de saúde buscar atendimento e não conseguem porque as unidades do Estado estão totalmente sucateadas e sem condições de entregar serviços dignos e de qualidade ao cidadão mato-grossense.

A saúde e segurança do trabalhador do SUS também foram amplamente discutidas durante os dias do Congresso (26 a 29/05) realizado no Hotel Fazenda Mato Grosso e que contou com mais de 600 trabalhadores das 16 regiões de saúde que trouxeram inúmeras denúncias e materiais fotográficos do caos instalado inclusive na OSS que gerenciam os hospitais regionais do estado localizados no interior.

 

REIVINDICAÇÕES DA CATEGORIA DA SAÚDE:

1) Retirada das Organizações Sociais de Saúde (OSS) da Gestão das Unidades da SES/MT;

2) Realização de Concurso Público;

3) Melhorias nas condições estruturais nas unidades e escritórios (parte elétrica, hidráulica, telefônica, reforma nos banheiros, adaptação para portadores de necessidades especiais, dentre outras necessárias ao funcionamento do SUS, tanto para usuários quanto aos servidores);

4) Renovação do mobiliário adaptados aos serviços;

5) Revisão da Lei Complementar nº 441/2011;

6) Cumprimento da NR 32, norma que tem por finalidade estabelecer diretrizes de Segurança e Saúde do trabalhador em Serviços de Saúde;

7) Melhorias do Serviço de Transporte da SES para deslocamento de Servidores e insumos de saúde;

8) Regularidade no pagamento dos contratos firmados pela SES/MT, para que não haja interrupção dos serviços, a exemplo do que acontece corriqueiramente com a limpeza e segurança patrimonial. Apesar de a categoria ser contrária à terceirização, uma vez contratada a empresa a mesma deve receber pelos serviços prestados;

9) Aquisição de insumos e medicamentos;

10) Contratação de empresa para efetuar a manutenção dos equipamentos conforme demanda;

11) Cumprimento do percentual Constitucional, EC 29, a qual prevê um gasto de 12% (doze por cento) da arrecadação do Estado com saúde, sem incluir na base de cálculo os valores gastos com a judicialização;

12) Liberação do uso da internet e outros canais de informação aos servidores ligados à SES/MT;

13) Reajuste dos valores das diárias pagas aos servidores;

14) Pagamento da diferença dos plantões de maio a outubro de 2011;

15) Publicação e pagamento dos valores devidos aos trabalhadores com enquadramentos pendentes – Limbo (direito adquirido); 

16) Pagamento do reajuste de 7,5% (sete e meio por cento) na data base da categoria, ou seja, maio de 2015. Reajuste este, previsto na Lei 10.079/2014 para Outubro de 2015;

17) Intervenção junto à Auditoria Geral do Estado determinando a suspensão imediata dos prazos fixados pelas notificações aos trabalhadores com duplo vínculo na Saúde Pública do Estado.

Dos 17 pontos acima apenas 1 item reivindicado pela categoria foi cumprido em sua integralidade, em virtude do CAOS  e falta de perspectivas que demonstrem prazos no cumprimento das reivindicações que visam o BEM ESTAR DO USUÁRIOS DO SUScom melhores condições de trabalho, a CATEGORIA DELIBEROU PELO INDICATIVO DE GREVE PARA O DIA 02/06/2015.

As Estratégias Da Manifestação E Mobilização Estão Sendo Construídas Pela Diretoria E Delegacias Regionais Do Sisma E Serão Apresentadas Aos Servidores Neste Dia 30/05/2015.

Comentários

Data: 01/06/2015

De: Joice

Assunto: Greve

Concordo em fazer greve, porém, sem prejudicar as pessoas que precisam trabalhar.

Prejudicar os demais cidadãos caracteriza um ato inconstitucional.

Novo comentário