31/07/2015 - Polícia Civil prende quadrilha e apreende 500 quilos de cocaína

31/07/2015 - Polícia Civil prende quadrilha e apreende 500 quilos de cocaína

Você pode escrever aqui...A Polícia Judiciária Civil apreendeu cerca de meia tonelada de cocaína, no Município de Pontes e Lacerda (448 km a Oeste de Cuiabá), durante uma operação realizada na tarde desta quinta-feira (30).


São 458 quilos de pasta-base (cocaína in natura), que estavam dentro de dois equipamentos agrícolas transportados em uma caminhonete. 

A apreensão integra as ações da Segurança Pública de repressão ao narcotráfico na fronteira com a Bolívia. 

Cinco pessoas foram presas e sete veículos - sendo duas caminhonetes (Ford 350 e S-10), três automóveis (Uno, Prisma e HB 20) e duas motocicletas Honda Bross - foram apreendidos, além dos maquinários de uso em fazendas.

Uma quantidade grande de tabletes, que ainda contabilizados e pesados, estava camuflado em um fundo falso, dentro de uma máquina roçadeira. 

Outros 153 tabletes, totalizando 158 quilos, foram encontrados dentro de um compressor de ar.

Os dois equipamentos estavam em cima da caminhonete F 350, com placa de Pontes e Lacerda. 

O veículo foi usado para buscar a droga na Bolívia, que vinha dentro dos equipamentos de fazenda. O compressor foi primeiro a ser aberto e estava recheado com 153 tabletes da substância.

A maior parte da droga foi encontrada no compartimento instalado na roçadeira para transportar a droga, sem gerar desconfiança da Polícia. O equipamento foi aberto, horas depois de a Polícia descobrir a primeira apreensão no compressor.

Segundo as investigações, os donos da droga seriam R.C.P., o "Betinho", e J.A.B., o "Jorginho". 

Pelo transporte, estavam responsáveis P.G.D.L., o "Paulinho", J.A.O., o "Gordinho", e H.M.C., o "Fofo". 

Todos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação criminosa. Eles são moradores de Pontes e Lacerda. 

A ação, que iniciou na quarta-feira (29), desarticulou uma organização criminosa, que utilizava maquinários de fazendas como esconderijo do entorpecente, que vinha da Bolívia passava por Pontes e Lacerda e seguia para o Estado de Goiás. 

O delegado Gilson Silveira informou que, há quatro meses, a Polícia Civil acompanhava a movimentação dos suspeitos, sempre utilizando caminhonetes com o artifício de serem trabalhadores de fazenda. 

"Eles tinham esse 'modus operandis' de forjarem que são trabalhadores de fazenda para traficar. Tem uma caminhonete cheia de equipamento de uso rural e dentro de um compressor e de uma roçadeira estava essa quantidade", disse o delegado.

O entorpecente era escoltado por duas motocicletas, usada para fazer a segurança da droga no perímetro entre a Bolívia e Pontes e Lacerda. 

Uma vez na cidade, o ponto de encontro era uma casa no bairro Residencial Vera, com muros altos, de onde a droga trocaria de veículo e seguiram para Goiás nesta quinta-feir.

Quando os policiais entraram na residência, as duas caminhonetes (F350 e S10) já estavam no local. 

"Entramos nessa casa e ficamos aguardando essas pessoas. As caminhonetes já estavam lá. A droga seria trocada de veículo para pegar a estrada para Goiás", explicou o delegado.

Para Silveira, o serviço é de profissional: "Para colocar a droga dentro desse compressor e da roçadeira o trabalho é serviço de profissional. Uma blitz comum na estrada não iria identificar a droga. Pelo fato de estar completamente lacrado, não iria exalar cheiro", disse o delegado.

A Polícia Civil apreendeu nota fiscal do compressor, que foi comprado em uma empresa de Goiás, o que indica que o trabalho de abrir e colocar deve ter ocorrido na Bolívia. 

"Aqui, quando encontrado, já estavam tudo lacrado. Precisamos de um serralheiro para abrir", afirmou o delegado Gilson Silveira.

Asfixia

O secretário executivo de Segurança Pública, Fábio Galindo, destacou o trabalho de investigação desenvolvido em Pontes e Lacerda, sob coordenação da Delegacia Regional, que culminou na maior apreensão de droga da Polícia Civil, na fronteira, em uma única ação.

"O resultado dessa operação está inserido na estratégia de asfixia do patrimônio da organização criminosa. Por isso, os cinco carros e as duas motocicletas apreendidas serão destinados ao reforço da estrutura policial da fronteira, caso o Ministério Público e o Poder Judiciária de Pontes e Lacerda concordem", destacou. 

Conforme Galindo, a Polícia Civil iniciará levantamento do patrimônio dos traficantes, possivelmente adquiridos com a atividade criminosa, que poderá também ser revertido à Segurança Pública.

 

 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário