31/08/2016 - Governo de Mato Grosso pede “socorro” a Maggi para recuperar economia

31/08/2016 - Governo de Mato Grosso pede “socorro” a Maggi para recuperar economia

O Governo de Mato Grosso solicitou ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, medidas que venham auxiliar a recuperação do crescimento econômico mato-grossense diante os problemas enfrentados no setor produtivo com quebra nas safras de soja e milho, principalmente, motivadas pelos problemas climáticos. Somente no milho, a falta de chuvas causou redução em 7 milhões de toneladas no comparativo com o ciclo passado.

Documento com ações emergenciais foi entregue ao ministro pelo vice-governador Carlos Fávaro. A situação de Mato Grosso foi apresenta para Blairo Maggi durante reunião na tarde de segunda-feira, 29 de agosto, em Brasília (DF).

A intenção é evitar que a economia do Estado seja afetada pela falta de capacidade de pagamento de investimentos realizados pelos produtores visto os problemas climáticos sofridos com a escassez de chuvas durante a safra 2015/2016.

Leia mais:

Blairo Maggi segue para a Ásia em busca de novos mercados para o Brasil

Segundo levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a produtividade do milho, cultura mais afetada pela falta de chuva, caiu 30,1% de 108,6 sacas por hectare na safra 2014/2015 para 75,9 sacas na safra 2015/2016. A maior queda constatada foi na região Nordeste de 60,4%, de 106 sacas em média por hectare para 42 sacas.

As ações apresentadas para evitar o travamento do desenvolvimento de Mato Grosso oriundo do setor produtivo foram levantadas pelas Secretarias de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT) e Fazenda (Sefaz-MT). 

Durante a reunião, o ministro Blairo Maggi revelou já ter conhecimento da situação vivida por Mato Grosso. Maggi destacou ainda ter encaminhado "pedido para o Conselho Internacional no sentido de criar condições para que o Banco do Brasil e os demais órgãos dessa região possam apresentar alternativas aos produtores. É uma pauta que chegou à mesa, mas que já estamos negociando com a Fazenda para que o Conselho possa editar essa norma".

Em Mato Grosso, de acordo com informações da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), há casos de produtores com dívidas junto a tradings que superam os US$ 30 mil, ou seja, cerca de R$ 97,5 mil considerando o dólar a R$ 3,25, como verificado nesta terça-feira, 30.

Conforme o vice-governador, Carlos Fávaro, Mato Grosso está com dificuldades em elevar a sua arrecadação em decorrência a situação provocada pelo clima. O vice-governador destacou que a economia começa a ser afeta com a falta de matéria-prima, o que vem provocando até mesmo o fechamento de empresas, como é o caso de uma indústria que suspendeu suas atividades diante a falta de soja, o que representa R$ 9 milhões por mês a menos arrecadados no Estado.

Fávaro afirmou que o fechamento de fábricas por falta de produto "impacta na economia estadual, impacta na vida dos nossos produtores e nós, juntos com as federações, as associações, e o Governo Federal, temos que buscar alternativas”.

 

 

 

Da Redação - Viviane Petroli