31/12/2015 - Anvisa aprova vacina contra a dengue e veneno contra o mosquito Aedes Aegypti

31/12/2015 - Anvisa aprova vacina contra a dengue e veneno contra o mosquito Aedes Aegypti

A Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – aprovou a Dengvaxia, uma vacina contra a dengue que já havia sido aprovada nas Filipinas e no México. A vacina foi registrada e produzida pela Sanofi e é a primeira aprovada no Brasil contra a dengue.

A vacina teve sua eficácia comprovada contra quatro tipos diferentes da doença. Um estudo realizado com aproximadamente 21 mil crianças e adolescentes na América Latina apontou que a vacina foi responsável pela redução de 60,8% dos casos de dengue e, na Ásia, a redução foi de 56% dos casos em 10 mil voluntários. A média desses dois estudos comprovou que a vacinação é mais eficaz a partir dos nove anos de idade.

Portanto, sua aplicação é indicada em crianças com mais de nove anos e em adultos até os 45 anos, já que não existem dados consistentes que garantam a segurança da vacina fora dessa faixa etária. O esquema de vacinação consiste em três doses, com a aplicações realizadas a cada seis meses.
Mesmo aprovada, a vacina ainda não está em circulação no mercado brasileiro e sua disponibilização no SUS – Sistema Único de Saúde também está sendo discutida pelo Ministério da Saúde. É importante lembrar que essa vacina não protege contra os vírus Chikungunya e Zika, também transmitidos pelo mosquito Aedes Aegypti - nome que significa "odioso do Egito".
 
Outra medida preventiva aprovada pela Anvisa recentemente é o produto "Straik Mata-Larvas", capaz de matar as larvas do mosquito Aedes Aegypti, combatendo a proliferação das doenças que seriam transmitidas por ele, como a dengue, chikungunya, zika e a malária. O veneno possui o princípio ativo piriproxifen, que impede a evolução das larvas em mosquitos e pode ser aplicado em qualquer local que acumule água ou seja um ambiente propício para o desenvolvimento do mosquito. A durabilidade do veneno está estimada em 60 dias.

Atenção com o tratamento para a dengue
Dores no corpo, febre e dor de cabeça são sintoma da dengue que podem ser confundidos com diversas outras doenças e o hábito de se automedicar pode ser muito perigoso nesses casos. Isso porque um paciente infectado com a dengue não pode ingerir medicamentos que contenham a substâncias ácido acetilsalicílico – como a Aspirina ou o AAS – livremente utilizados como analgésico e antitérmico. Essa substância pode agravar o quadro levando à dengue hemorrágica. Portanto, é essencial consultar um médico caso apresente esses sintomas, para garantir o tratamento adequado e não colocar a saúde em risco.

 

 

 

Tabata Mertz

ÁGUA BOA NEWS

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário