09/07/2015 - Apagão para o judiciário na maior greve da história no setor

Em dia de apagão para fortalecer a greve pela recomposição salarial, servidores do Judiciário Federal de MT param o TRT e também fazem grande ato na Justiça Federal

 
Nada de greve minguada, nem refluxo de movimento. A palavra de ordem entre os servidores do judiciário federal em Mato Grosso é fortalecer a Greve daqui até o dia 21, para arrancar da presidente Dilma Rousseff a sanção do projeto da recomposição salarial da Categoria, aprovado pelo Senado no último dia 30/6. Foi esta a disposição que eles demonstraram durante o apagão deste dia 08 de julho, que conseguiu parar o TRT-MT e também alcançou o objetivo na Justiça Federal. Segundo as avaliações, foi mais um dia memorável nesta histórica Greve no judiciário.

Segundo o diretor do SINDIJUFE-MT Pedro Aparecido de Souza, o apagão cumpriu o objetivo, que era acompanhar o Brasil inteiro na mobilização de hoje. "A categoria está de parabéns, porque conseguiu fazer um bonito trabalho e muito barulho. Fizemos o ato com  muita alegria e disposição. Realmente esta greve está ficando na história da nossa Categoria".

No TRT  mais de 100 servidores acompanharam a visita aos locais de trabalho, e o Tribunal literalmente parou o funcionamento. Após percorrer todos os locais de trabalho os manifestantes se reuniram no térreo do prédio, onde foi realizado um ato em defesa da aprovação do projeto da recomposição salarial da categoria.

O apagão na Justiça Federal teve início por volta do meio-dia, percorrendo também todos os locais de trabalho com  dezenas de servidores acompanhando as visitas. No final, também houve um ato no hall de entrada, onde foram colocadas todas as informações referentes à manifestação. 

De acordo com Pedro Aparecido, os próximos passos serão no sentido de fortalecer a Greve. "A Greve na Justiça Federal está muito forte e podemos dizer que é a Greve mais forte de todos os tempos. Mas devemos reconstruir a Greve na Justiça do Trabalho, principalmente agora, em que não teve corte de ponto até o dia 30, que foi um grande avanço conseguido pelo Sindicato através das negociações com a Administração. A Greve no TRT ainda perdura nas cidades do interior, assim como perdura na JUstiça Federal da capital e no interior do Estado, da mesma forma como também ocorre na sede do TRE e nos cartórios eleitorais. Mas agora a estratégia é fortalecer o movimento até o dia 21".

Ele lembrou que a Categoria ainda tem 13 dias para fortalecer o movimento e chegar o dia 21 com tudo parado e enviando uma caravana a Brasília, onde haverá milhares de servidores no dia 21, de modo que a gente consiga a sanção do PLC 28/2015. "Neste período nós teremos um ato de recepção à presidente Dilma Rousseff, caso ela realmente venha a Cuiabá para a inauguração oficial do Hospital São Benedito. Estaremos recebendo ela ou seus representantes com um grande ato de protesto", disse Pedro.

Para o servidor Rodrigo de Carvalho, que é membro do Comando Estadual de Greve, o apagão no TRT e na Justiça Federal alcançou todas as expectativas. "Em cumprimento ao calendário de paralisação nacional, fizemos a visita e o arrastão nas duas casas, no TRT na parte da manhã, e na Federal na parte da tarde, com alta adesão. A adesão foi muito alta, e conseguimos, durante o apagão, transmitir a mensagem para todos os servidores sobre a importância de continuarmos a greve e fortalecermos o movimento para obtermos a sanção do nosso projeto de recomposição salarial junto à presidente Dilma", disse ele.

Conforme Rodrigo, na conversa com todos os servidores o comando de greve percebeu que há uma grande disposição para fortalecer a Greve. "A manifestação de todos foi muito positiva neste sentido, e quem não aderir à Greve nesta quinta-feira (09/07) informou que fará isso na próxima segunda-feira".

A luta prossegue nesta quinta-feira, quando os servidores em greve no judiciário federal de Mato Grosso voltarão a se reunir em assembleia geral a partir das 9h, no TRE.

 
 
Assessoria SINDIJUFE
 
 
 
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário