18/02/2011 09h:22 “Estamos reestruturando a saúde pública de Novo Santo Antônio” Em 2010 foram apenas 10 casos de Dengue confirmados

 

As questões relacionadas à saúde publica são verdadeiros pesadelos para os prefeitos do norte Araguaia, faltam hospitais, ambulâncias, equipamentos, profissionais e quem sofre com isso é a população.

Mas segundo Adelina Lacerda secretária municipal de Saúde de Novo Santo Antônio, a cidade vive hoje na contramão do restante da região, reestruturando o sistema público e investindo fortemente na prevenção.

Em entrevista ao Agência da Notícia ela disse que as dificuldades de oferecer um atendimento de qualidade são grandes, principalmente pela  escassez de recursos, uma saída encontrava foi investir fortemente na prevenção.

Isso foi feito no combate a dengue, do qual Mato Grosso vive risco de epidemia, um trabalho desenvolvido em parceria com os agentes comunitários e a secretaria de obras, possibilitou uma varredura da cidade, que esta as margens do rio das Mortes, localizando e destruindo criadouros e conscientizando a população com palestras nos centros comunitários e nas escolas.

“São cerca de 20 pessoas trabalhando diariamente no combate a dengue, e o resultado foi que ano passado tivemos apenas 10 casos confirmados, mesmo assim, na maioria de pessoas que vieram doentes de outras cidades, a chamada dengue importada”, declarou a secretária.

Outro grande problema sanado nos últimos meses foi à falta de médico no PSF, que atende diariamente mais de 40 pessoas.

“Ficamos um bom tempo sem médico, mesmo oferecendo ótimos salários é difícil encontrar um profissional que queira vir para o município, eles preferem ganhar menos, mas ficar em grandes centros. Contratamos agora um clinico geral com especialidade em Ortopedia, uma vez que o consórcio que nos atende esta há seis meses sem médico desta especialidade”, disse Adelina.

O Posto de Saúde da Família de Novo Santo Antônio trabalha 24horas, em turnos com um bioquímico, dois enfermeiros, um farmacêutico e o médico responsável, os casos de média ou grave complexidade são encaminhados para São Félix do Araguaia ou Barra do Garças.


Fonte: Leandro Trindade