09/07/2015 - Líder da farra no Brasil, Câmara de Cuiabá cortará até "cafezinho"

Júlio nega que vereadores sejam caros a sociedade

 
Da Redação

 

 

 

 

 

Em meio aos escândalos que dominaram a Câmara Municipal de Cuiabá nos últimos anos, o presidente do Legislativo, vereador Júlio Pinheiro (PTB), declarou que pretende extinguir a verba de gabinete de R$ 25 mil distribuída a cada parlamentar. Esse dinheiro recebido mensalmente serve para custear despesas com servidores contratados sem concurso público para atuação no gabinete.

Porém, diante do último concurso público que preencheu vagas ociosas no Legislativo, Julio Pinheiro entende que não há mais necessidade de ter esse gasto extra. “Precisamos de uma adequação e criar um novo lotacionograma. Não haverá necessidade de verba de gabinete. Já temos funcionários o suficiente, e isso não muda em nada”, disse. 

O parlamentar promete até acabar com a distribuição de café aos parlamentares para cortar gastos e rechaçou a acusação de que a Câmara de Cuiabá tenha tantos benefícios financeiros aos parlamentares. “A única coisa que fornecemos é o café e mesmo assim estamos dispostos a cortar. Em São Paulo, vereador tem verba de custeio que chega a R$ 220 mil e nós aqui de Cuiabá temos uma verba indenizatória de R$ 65 mil para custear tudo. Essas acusações são demagogia”. 

Um vereador na capital de Mato Grosso custa mensalmente R$ 67 mil. O valor é através de várias verbas acumuladas além de polpudos salários.

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário