Operação Atlântida: asfalto em Campinápolis parece que foi bombardeado 17/01/2011, 16:29

O asfalto recém-construído na cidade de Campinápolis pelas empreiteiras Assecon e Conspav, de propriedade do empresário Luiz Antônio Jacomini, mais parece um “queijo suíço”. A cidade, localizada a 700 km de Cuiabá, região do Vale do Araguaia, está totalmente esburacada.

 

Entregue há cerca de três anos, o asfalto, também classificado pela população como “casca de ovo”, entra para a história por representar o descaso com o dinheiro público e também porque o proprietário da empreiteira responsável foi preso no final do ano passado na Operação Atlântida, da Polícia Federal.

 


Buracos dominam avenida que passam em frente o Hospital do Índio

A Operação Atlântida denunciou um grupo formado por empreiteiros, servidores públicos e funcionários da Caixa Econômica Federal, acusados de fraudes em licitações e desvios de recursos federais no Vale do Araguaia.

 

As investigações da PF que culminaram com a Operação Atlântida foi deflagrada depois que a Controladoria Geral da União (CGU) verificou fraudes em licitações com acerto prévio de resultados entre empreiteiros. A manipulação dos resultados contava com a conivência de servidores públicos de prefeituras, da Sinfra e da Caixa Econômica Federal, levando ao superfaturamento de obras principalmente de asfalto.

 


A Avenida Flávio Ferreira Lima parece que sofreu um bombardeio

 

Os empreiteiros declaravam 40 centímetros de asfalto entre base e contra-base, mas a fiscalização detectou somente de 10 a 15 centímetros. De acordo com a investigação, a empresa Silgran, de Barra do Garças, era mais beneficiada na execução de asfalto em Barra, Novo São Joaquim, Canarana, Pontal do Araguaia, Campinápolis, e Ribeirãozinho.

 

O proprietário da Silgran, Antônio Cesara Silveira é apontado como o maior beneficiado das fraudes e Jacomini como principal articulador das empreiteiras Assecon e Conspav. O ex-secretário de Obras de Barra do Garças, César Magrini, também foi preso.

 


Avenidas principais da cidade estão em péssimas condições de trafegabilidade

 

Revolta - A população de Campinápolis, que assistiu estarrecida a denúncia de desvio de dinheiro público na construção do asfalto, aguarda uma solução para o problema e já ameaça fazer uma baixo assinado e entrar com denúncia no Ministério Público para que a cidade seja ressarcida.

 


O asfalto sobre a ponte, no centro da cidade, é só buraco.


Sandra Carvalho 17/01/2011 - 16:29