15/02/2012 - Polícia Civil de Mato Grosso deflagra operação contra pessoas e hacker envolvidos em furto de dados de clientes do Banco do Brasil

 

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso cumpre nesta terça-feira (14.02), 9 mandados de prisão temporária (5 dias) e 13 ordens de busca e apreensão em cinco estados do Brasil, suspeitos de envolvimento em fraudes contra correntistas do Banco do Brasil, praticadas pela internet, com vítimas nas cinco regiões do País.
 
Os presos estão envolvidos em crimes de furto qualificado mediante fraude, formação de quadrilha, interceptação telemática ilegal (Artigo 10, Lei 9.296/96), violação de sigilo bancário (LC 105/2001).
 
A operação “Orion”, que significa “O Grande Caçador”, foi desencadeada em Cuiabá pela Gerência de Combate aos Crimes de Alta Tecnologia (Gecat), da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Mato Grosso, e nos Estados do Rio Janeiro, São Paulo, Bahia e Ceará, com o apoio da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas (Draco), Polícia Civil dos Estados de São Paulo, Bahia e Ceará.
 
As investigações iniciaram há 8 meses pela Gerência de Combate aos Crimes de Alta Tecnologia (Gecat). A equipe da delegada da Gecat, Maria Alice Barros Martins Amorim, chegou até um aplicativo, desenvolvido por um hacker, capaz de furtar dados de correntistas do Banco do Brasil, boa parte por e-mail, com técnica de phishing, com o uso de página falsa do banco.
 
Para a operação foram mobilizados mais de 100 policiais civis, entre delegados, investigadores e escrivães, dos cinco estados com mandados de prisão e busca e apreensão decretados. As ordens de buscas são acompanhadas por peritos da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) de Mato Grosso.
 
LUCIENE OLIVEIRA
Assessoria/PJC-MT
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário