24/01/2011 - Aprovado em concurso da PM forja documento e é preso durante apresentação

 

Um candidato ao concurso da Polícia Militar foi preso em flagrante quando entregava documentos na fase de investigação social. Maikon Georgia da Costa, 23, que é cabo do Exército, entregou uma certidão de conclusão do Ensino Médio da Escola Estadual Maria Luiza Moreira, do bairro Tijucal, em Cuiabá.

 

A gerência de contra-inteligência da PM, que é responsável pela fase de investigação social de todos os candidatos, tinha recebido uma denúncia anônima e aguardou o dia que Maikon iria se apresentar, o que aconteceu nesta sexta-feira (21).

 

Durante uma entrevista o acusado confessou que o documento era falsificado e disse ter pago R$ 800 pelo atestado. Ele alegou que não teria tempo para concluir os estudos e, por isso, resolveu pagar para garantir a vaga no concurso público do governo do Estado de Mato Grosso.

 

Os policiais foram até a escola e confirmaram que o documento não segue os padrões da Secretaria de Estado de Educação. Constataram ainda que Maikon nunca estudou naquela instituição e os nomes que estavam no atestado, como da diretora e coordenadora, eram de outros servidores da escola que nunca ocuparam as funções citadas.

 

A Polícia Militar acredita que este pode não ser o único caso de documentos falsificados. Por isso, será feita uma investigação nos 712 diplomas entregues por candidatos.

 

Maikon foi preso em flagrante por falsificação de documento e as investigações continuam para tentar chegar à pessoa que vendeu o diploma para ele. O candidato informou um nome aos policiais, que será averiguado.

Serviço - A Polícia Militar pede que as pessoas façam denúncias de qualquer irregularidade pelo telefone 0800-396565 e afirma que tudo será apurado.

Escrito por A Gazeta