Trabalhadores ficam até 24 horas na fila por seguro-desemprego e polícia intervém 13/01/2011

Dar entrada no Seguro-Desemprego em Cuiabá e Várzea Grande já está virando caso de polícia. Há pessoas que chegam às 14 horas de um dia e só saem no dia seguinte para garantir o benefício.

Foto: Sandra Carvalho

Trabalhador fez lista após se envolver em confusão por senha na madrugada anterior

Ontem, uma viatura da PM compareceu ao Sine de Várzea Grande para conter o tumulto na disputa pelo atendimento, ainda na madrugada. A confusão acontece porque são apenas 45 senhas por dia e que são entregues por ordem de chegada. Diante disse, os trabalhadores passaram a chegar cada vez mais cedo a fim de conseguir um número. Resultado: tem gente chegando no dia anterior.

Na tentativa de “organizar” o atendimento, os trabalhadores desempregados, por conta própria, estão distribuindo senhas às 19 horas. Anteontem, de posse do número (improvisado), as pessoas pegaram suas senhas e foram embora pra casa. Enquanto isso, outras chegaram mais tarde e, sem saber da tal distribuição de senhas da noite anterior, ficaram na fila por ordem de chegada.

Foto: Sandra Carvalho

Até crianças passa a noite em frente ao Sine

Ao amanhecer, aquelas que pegaram a senha e foram embora começaram a retornar e aí encontraram um enorme fila dos que chegaram posterior a distribuição dos números. E a confusão foi inevitável, situação que tem ocorrido diariamente. “Esses dias um homem ficou tão bravo que foi embora dizendo que ia buscar uma arma”, contou a serviços gerais Maria José da Hora.

Ontem à noite, a situação se repetiu. Jussara Constança, 48 anos, chegou às 14 horas na porta do Sine e ali ficou, já na expectativa de garantir a senha no dia seguinte. Outras pessoas foram chegando paulatinamente. Às 19 horas, Rafael Benedito da Silva, 39, tomou a decisão de distribuir senhas. Fez 45 papéizinhos enumerados e entregou às pessoas que ali estavam. Feito isto, foi embora dormir, assim como os demais, com exceção de Jussara que permaneceu no local com medo de perder a vaga.

Foto: Sandra Carvalho

Alguns dormem no carro e outros, vencidos pelo cansaço, deitam na calçada

Por volta das 22 horas chegou Pedro Paulo Júnior, 26, que participou da confusão da madrugada anterior, revoltado por não ter conseguido atendimento. Decidido, pegou uma folha e uma caneta e começou a fazer uma nova lista. Como a Jussara já estava ali, permaneceu com o número 1. E assim o jovem desempregado passou a noite toda, organizando nova fila.

“Estou fazendo isso porque não concordo com essa distribuição de senha na noite anterior. Aí as pessoas vão pra casa dormir e os que chegam de madrugada não conseguem mais entrar na fila”, reclamou.

Foto: Sandra Carvalho

Ao amanhecer, lanche para enfrentar o dia todo pelo atendimento

Josiane Arruda, 28 anos, não pegou senha na noite anterior e ao chegar no Sine de Várzea Grande hoje pela manhã a lista elaborada por Pedro Paulo já estava com 45 nomes, completa. “Vou ficar aqui no final da fila e eles vão ter que dar um jeito de me atender”, bradou a trabalhadora, que no dia anterior registrou uma queixa na Ouvidoria do Sine pela internet.

Homens e mulheres de todas as idades e inclusive crianças passam a noite na porta do Sine de Várzea Grande para dar entrada no Seguro-Desemprego. Cansados, muitos dormem pelo chão ou dentro de veículos. Muitos levam lanche para matar a fome. Depois de pegar a senha oficial do Sine, às 7h30, os que tem número maior ainda enfrentam longa espera pelo atendimento durante todo o dia.

O sistema lento e frequentes problemas no sistema, cuja manutenção é feita por uma empresa de outro estado, estaria contribuindo para aumentar o tempo de atendimento aos trabalhadores.

Foto: Sandra Carvalho

Em Cuiabá, a fila ainda é maior

Serviço - O Sine Estadual está localizado na Rua Baltazar Navarros, 567, bairro Bandeirantes. O horário de atendimento é das 7h30 às 17 horas. Os Sines municipais estão localizados na Regional Sul, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, no trevo do bairro Parque Cuiabá e na Câmara Municipal de Vereadores, na rua Barão de Melgaço, Praça Moreira Cabral e o funcionamento é das 8h às 17h. Em Várzea Grande o Sine está na Avenida Filinto Muller, 510, e aberto das 7h30 às 17h.


Sandra Carvalho 13/01/2011 - 11:42