11/04/2019 - Falta de verba afeta unidades da Apae em MT; Barra do Garças está funcionando porque recebe ajuda da prefeitura

11/04/2019 - Falta de verba afeta unidades da Apae em MT; Barra do Garças está funcionando porque recebe ajuda da prefeitura

A falta de repasse e a insegurança se haverá ou não apoio do governo agora com Mauro Mendes está causando uma crise sem precedente junto as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) de Mato Grosso. Em Barra do Garças, a presidente Diana Milhomem, informou que a entidade não recebe apoio do governo do estado desde junho do ano passado e por causa disso teve que demitir sete funcionários.

"Estamos fazendo uma galinhada para arrecadar fundos e pagar a rescisão dos demissionários e estamos funcionando porque temos recebido o apoio da prefeitura de Barra do Garças", frisou a presidente apaena de Barra do Garças.

Agora pouco o site G1 divulgou um raio-x sobre as Apaes de Mato Grosso. As principais e apresenta também um parecer do governo estadual sobre essa crise.

Na reportagem do G1 diz que a Apae de Tangará da Serra já comunicou aos pais que deve demitir funcionários e parar o transporte escolar. O motivo é a falta de repasse do governo de Mato Grosso. O dinheiro para manter o atendimento nesse ano ainda não chegou.

As unidades da Apae, geralmente, são mantidas por três repasses: dinheiro que vem do município, repasse estadual que ainda não chegou, e por doações da comunidade e outras instituições. Essa é a verba principal que mantém o atendimento em boa parte dessas instituições.

Em Tangará a Apae atende mais de 260 alunos especiais e 60 funcionários. A direção quer evitar o risco de endividamento. Em Mato Grosso, as Apaes atendem aproximadamente 5 mil alunos. São 67 unidades espalhadas em todas as regiões de Mato Grosso.

Alta Floresta

Em Alta Floresta, a 800 km de Cuiabá, a Apae também pode parar. A unidade atende aproximadamente 100 alunos crianças com Síndrome de Down, autistas, com deficiência mental, com deficit de aprendizagem, entre outros.

A Federação das Apaes em Mato Grosso informou que aguarda negociações com o governo para a liberação de recurso.

Primavera do Leste

A diretoria da instituição da Apae de Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, disse que a entidade beneficente aguarda o repasse de um montante de R$ 101 mil para realizar o pagamento dos profissionais, compra de material didático e outros custos de dentro da entidade.

A situação já acarretou um grande déficit para a associação e, hoje, agricultores e comerciantes da região contribuem para amenizar a falta de dinheiro.
São 140 alunos com necessidades especiais atendidos.

Outro lado

Em nota o governo de Mato Grosso informou que em 2017 foi firmado convênio com a Apae de Tangará da Serra que vigorou até 31 de dezembro de 2018.

Por meio desse convênio a Secretaria de Educação (Seduc) repassou R$ 720 mil à instituição, divididos em quatro parcelas de R$ 180 mil.

O convênio para 2019 e 2020 ainda não foi firmado. A Seduc elaborou um documento ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Estado (Condes), destacando a importância dos convênios com as Apaes, e aguarda uma decisão do conselho.

 

 

ARAGUAIA NOTÍCIA

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário