12/03/2018 - Sintep/MT protocola ofício exigindo posse imediata dos aprovados no Concurso

12/03/2018 - Sintep/MT protocola ofício exigindo posse imediata dos aprovados no Concurso

O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) protocolou na Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), nesta sexta-feira (09.03), um ofício que recebeu o número (nº 113722), em que cobra a posse imediata dos aprovados no Concurso Público, assim como homologação no cadastro de reservas com 100% daqueles que passaram em todas as etapas. A entrega do documento foi feita sob aclamados gritos de "posse já", por parte dos concursados, que participaram do primeiro ato unificado.

O presidente do Sintep/MT, Henrique Lopes, lembrou que só com a mobilização terão assegurados os direitos. E assim reforçou que além da capital, as subsedes do Sintep realizam manifestações na Assessorias Pedagógicas. Para a categoria, o atraso tem sido uma estratégia para postergar ao máximo e ser inviabilizado devido o período eleitoral.

"O concurso foi arrancado do governo na greve de 2016, diante de um cenário de privatização da escola pública, da tentativa de transferir para a iniciativa privada os cargos de técnicos e apoio escolar. A reivindicação sempre foi para o número real de vagas, ou 60% do quadro dos trabalhadores da educação, de contratos temporários, na rede estadual. O fato sustenta a desconfiança sobre as reais intenções do governo", disse Lopes.

"Temos vivenciado ações e atitudes de atraso nesse Concurso Público. Fala-se uma coisa e se faz outra", destacou a vice-presidente do Sintep/MT Jocilene Barboza, citando o calendário do Concurso, emitido pelo governo em 2016, que previa provas e posse em 2017 e não aconteceu. "A presença do Sintep/MT no ato é para exigir que os procedimentos sejam imediatos e não a conta gotas", afirma.

A também dirigente sindical do Sintep, em Várzea Grande, Maria Aparecida Cortez, apontou falta de competência do governo, lembrando que o Concurso não é um presente e sim uma conquista da categoria. "Esse governo se apresentou prometendo o céu e ofereceu o inferno". Conforme ela, faltam profissionais nas escolas de Cuiabá e Várzea Grande. "As escolas estão dispensados alunos mais cedo por falta de professores, não há por

-- que postergar a posse. A política desse governo é criar fato para justificar seus atos. Só com a luta coletiva conseguiremos a vitória", concluiu.

 

FONTE: 24 Horas News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário