16/05/2018 - Índia denuncia ter sido violentada sexualmente em São Felix do Araguaia

16/05/2018 - Índia denuncia ter sido violentada sexualmente em São Felix do Araguaia

Uma índia da etnia Karajá, de 38 anos, denunciou ter sido estuprada no domingo (13), durante uma festa popular, em São Félix do Araguaia, a 1.159 km de Cuiabá. De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, o suspeito é conhecido na cidade e tem várias passagens por roubos e furtos. Ele fugiu e ainda não foi preso.

 

A vítima, que é técnica de enfermagem e atua na aldeia, contou que estava em uma festa de comemoração do aniversário da cidade, quando o suspeito se aproximou dela e dos amigos, mas eles não imaginavam que o criminoso pudesse cometer o crime.

Depois de um tempo próximo dela e dos amigos, o suspeito brigou com um dos índios que estavam no evento.

Em um momento que estava sozinha, o homem a agrediu e tentou levá-la para um local afastado dos outros. Ele tirou a roupa dela à força e a estuprou.

Um dos índios que acompanhava a vítima percebeu o que estava acontecendo e tentou socorrê-la, mas foi ameaçado pelo homem que estava armado com um canivete.

Depois de lutar com o agressor, a mulher conseguiu correr e chamar a polícia.

O suspeito fugiu. A polícia vai investigar o caso.

A índia, de 38 anos, mora na aldeia Santa Isabel, que fica na divisa de Mato Grosso com Tocantins, a cerca de 30 km de São Félix do Araguaia.

 

FONTE: G1 MT

Comentários

Data: 16/05/2018

De: Luis Gonzaga Domingues

Assunto: luisodomingues@hotmail.com

Comprador do triplex é sócio de advogado do PSDB e primo de Alckmin
Fernando Gontijo acha que apê da OAS é "um bom investimento"
De Kiko Nogueira, no DCM:
O leilão do triplex do Guarujá ia acabar num mico até que, a 5 minutos do final, o empresário mineiro Fernando Costa Gontijo fez um lance de 2,2 milhões de reais.
Levou.
Ao Globo, ele afirmou que, pela sua experiência, há casos em que a chamada “segunda praça” vende o imóvel por um preço maior do que na primeira tentativa por atrair mais interessados.
Gontijo alega que a vista para o mar o levou a adquirir a propriedade. “Achei que era um bom investimento”, falou. Ele criou uma empresa especificamente para essa operação, a Guarujá Participação, registrada no dia 29 de março.
Conta a reportagem:
O pai de Gontijo era primo do magnata da construção civil de Brasília, José Celso Gontijo, dono da construtora JC Gontijo. O novo dono do tríplex também diz ter sido executivo da Via Engenharia até 2001, quando deixou a empresa. Ambas as empresas foram investigadas no escândalo que ficou conhecido como Mensalão do DF, que envolveu o ex-governador José Roberto Arruda. Porém, Gontijo diz que é apolítico.
Fernando Costa Gontijo é dono de doze empresas: onze em Brasília e uma em São Paulo.
O capital social é de 9,5 milhões de reais.
Foi condenado numa ação de improbidade administrativa do ex-prefeito de João Pessoa Cícero Lucena.
O Ministério Público Federal apontou irregularidades em diversos convênios e contratos de repasse para a execução de obras públicas.
O que o Globo sonegou, por razões ainda obscuras, é que ele é sócio de José Augusto Rangel de Alckmin na La Paia Empreendimentos Imobiliários.
José Augusto é advogado do PSDB e primo do célebre Geraldo, candidato a presidente da República.
Discreto, não aparece em fotos nem de festa de aniversário. Os dois, José Augusto e Fernando Gontijo, responderam a um processo trabalhista.
O escritório que mantém com o irmão José Eduardo, este sim mais midiático, é bastante conhecido na capital federal.
Quem trabalha lá é Pedro Júnior Rosalino Braule Pinto, o “Doutor Pedrinho”, que atua na defesa de Aécio Neves.

Data: 17/05/2018

De: Patrao

Assunto: Re:luisodomingues@hotmail.com

AGORA O LULA VAI SAIR DA CADEIA!!

Novo comentário