16/10/2018 - Troca de bebês em Mato Grosso é resolvida depois de 23 anos

16/10/2018 - Troca de bebês em Mato Grosso é resolvida depois de 23 anos

Um caso que durou oito anos e vários exames de DNA foi tema de reportagem do Fantástico neste domingo (14). O fato ocorreu em Rondonópolis (218 Km de Cuiabá). Segundo a reportagem, a curiosidade de Wandré Moreira de Castilho começou com provocações de um irmão que sempre dizia que ele não era filho de seu pai. Aos 15 anos o rapaz pediu para fazer o exame de DNA e o pai aceitou.

Em junho de 2010 foi realizado, e conforme Gislene Diogo da Silva, mãe do rapaz, o laboratório pediu uma nova coleta e quando saiu o resultado ela ficou arrasada ao descobrir que não era mãe biológica do jovem. Com isso, a família entrou na Justiça e a situação virou caso de polícia. Em agosto de 2012 foi solicitado que a maternidade, na Santa Casa de Misericórdia do município, apresentasse dados de partos ocorridos entre 10 e 16 de fevereiro de 1995.

O hospital não encaminhou nenhum documento e com isso o Ministério Público Estadual fez novamente o pedido em 2016, mas mais uma vez não obteve sucesso.

No ano passado a delegada Juliana Carla Buzetti assumiu o caso pediu pela terceira vez os documentos. A Santa Casa explicou que se passaram 22 anos e a via está ilegível. Mas, a cópia da lista com todos os partos do período acabou sendo apresentado.

Foi feito exame de DNA em todos os jovens nascidos no mesmo dia que Wandré, mas ninguém era compatível biológicamente com a mãe de criação. Com o decorrer da investigação, foi descoberto que o bebê trocado havia nascido no dia seguinte, de nome Leonardo. A suspeita é de que a troca teria ocorrido durante o banho dos recém-nascidos.

A reportagem mostra como está a relação das famílias envolvidas nesta confusão. 

 

 

 

RD News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário